Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Mulher abusa sexualmente de garoto de 4 anos, grava tudo com câmera e vende filme na Internet



Uma mulher de 30 anos que se filmou abusando sexualmente de um menino de 4 anos de idade, e vendeu o vídeo logo depois, foi presa.
Ela recebeu uma sentença de 25 anos de prisão após se declarar culpada perante as autoridades, que descobriram o vídeo online.
As autoridades dizem que ela admitiu ter realizado atos sexuais com a criança e gravado em seu celular. Então, enviou o vídeo para três pessoas, e recebeu dinheiro por isso.
O juiz contatou os pais da mulher, que disseram estar em um “estado de choque” após as alegações.
Além do vídeo, a mulher também tirou fotos nuas da criança e de si mesma com a criança — também nuas. O advogado dela, sem sucesso, defendeu uma pena menor, dizendo que havia outras circunstâncias que influenciaram o comportamento de sua cliente, e que ela não tinha nenhum antecedente criminal. Mas não teve discussão. O juiz declarou: “A situação é triste. O menino estava muito vulnerável e é extremamente jovem. Ele não tinha controle algum sobre a situação”.
Os pais dela tentaram defender, escreveram uma carta dizendo que não sabiam nada sobre esse “lado oculto” da filha, e que ela provavelmente estava muito deprimida. Eles também pensavam que sua filha foi forçada a fazer o vídeo.
***** Informações com: R7

VÍDEO: Bandido tenta assaltar policial e se dá mal!



Um bandido foi assaltar um policial com o uso de uma arma de brinquedo, mas acabou sendo alvejado e morreu no hospital em Tocantins.


Via papodepolicia

BALA E SANGUE EM FORTALEZA: Assassinatos voltam a registrar altos índices. Em agosto, mais de 100 pessoas foram mortas



As estatísticas oficiais do mês de agosto não foram ainda concluídas pelas autoridades da Segurança Pública do Estado, mas os números parciais já confirmam a informação de que as taxas de assassinatos em Fortaleza voltaram a crescer nos últimos dois meses. A quebra do pacto por uma pacificação entre as facções criminosas fez a Capital cearense virar palco diário de execuções sumárias.

Um balanço parcial feito, com exclusividade, pelo blogdofernandoribeiro.com.br com os registros de homicídios em Fortaleza no mês de agosto, revela que, no intervalo entre os dias 1º e 30 (faltando somente os números desta quarta-feira, dia 31), 102 pessoas foram assassinadas na cidade. A média, portanto, é de um homicídio em Fortaleza à cada 8 horas.

Bairros que vinham apresentando baixíssimos índices de homicídios desde a pacificação imposta pelas facções criminosas voltaram a registrar assassinatos em série. É o caso, por exemplo, da Vila Manoel Sátiro, onde, neste mês, pelo menos, sete pessoas foram mortas.

Já em Messejana, outras seis pessoas foram executadas sumariamente, sendo duas de uma só vez, além de outras duas terem ficado feridas. A tentativa de chacina ocorreu na madrugada do dia 13 passado, na Rua José Cavalcante Sobrinho. As vítimas estavam em um táxi e voltavam de uma festa, quando foram atacadas pelos assassinos. O caso já foi elucidado.

Também no bairro Rodolfo Teófilo, uma tentativa de chacina aconteceu na noite do dia 5, quando quatro pessoas foram baleadas. O crime ocorreu em um beco na Rua Frei Marcelino. Duas pessoas morreram na hora. Três dias depois, uma terceira vítima faleceu no Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro). Minutos depois, supostamente, os mesmos criminosos foram ao vizinho bairro Amadeu Furtado, e, na Avenida Gonçalves Dias, mataram mais uma pessoa e deixaram outra gravemente ferida.

Mortes

Outros bairros que apresentaram novos casos de assassinatos depois de uma trégua foram: Centro, Canindezinho, Maraponga, Parangaba, Pedras, Parque São José, Sabiaguaba e Vila Velha.

Além das dezenas de corpos recolhidos nas ruas da Capital, 12 pessoas baleadas em bairros diversos da Capital cearense acabaram morrendo em hospitais públicos dias depois de lesionadas, crimes denominados de lesão corporal seguida de morte.