Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Um em cada três brasileiros culpa as mulheres por estupro, diz pesquisa


Mais de 33% da população brasileira consideram a vítima culpada pelo estupro. O dado consta de pesquisa feita pela Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Divulgado hoje (21), o levantamento mostra ainda que 42% dos homens e 32% das mulheres entrevistados concordam com a afirmação: “Mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”, enquanto 63% das mulheres discordam.


“O percentual dos que concordam não varia entre homens e mulheres (30%), o que significa que, para um terço dos brasileiros, a mulher que é agredida sexualmente é, de alguma forma, culpada pela agressão sofrida se opta por usar certas peças de roupa”, diz o levantamento.

De acordo com a pesquisa, os graus de concordância variaram mais em função da idade e escolaridade. Os grupos que mais se afastam da média são as pessoas com 60 anos ou mais, com 49% de discordância e, no lado oposto, as pessoas com ensino superior, em que a discordância chegou a 82%.

O levantamento mostra também que 65% da população tem medo de sofrer violência sexual. "O percentual cresce quando desagregamos o dado por sexo, já que 85% das mulheres brasileiras afirmam ter medo ante 46% dos homens".

Metodologia

A Datafolha fez 3.625 entrevistas com pessoas a partir de 16 anos de idade, em 217 municípios. A coleta de dados foi feita entre os dias 1º e 5 de agosto deste ano. A margem de erro é 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Veja aqui a pesquisa completa


A Datafolha fez 3.625 entrevistas com pessoas a partir de 16 anos de idade, em 217 municípios. A coleta de dados foi feita entre os dias 1º e 5 de agosto deste ano. A margem de erro é 2 pontos percentuais para mais ou para menos. 

Fonte: Agência Brasil

Polícia prende maníaco da seringa em metrô


O suspeito é um morador de rua de 62 anos de idade (Foto: Divulgação)


A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (20) um morador de rua acusado de atacar uma estudante com uma seringa na estação Paraíso do metrô, em agosto.

Benedito José da Silva, de 62 anos, foi detido na plataforma da estação Barra Funda do metrô, por volta das 18h, com 21 seringas em uma sacola, onde também carregava algumas roupas. As agulhas estavam fechadas e foram coletadas por ele em postos de saúde para tratamento de diabetes, segundo informou à polícia.

De acordo com o delegado Nico Gonçalves, o acusado tem problemas mentais. Foi pedido, além da prisão, o encaminhamento para cumprir pena em hospital psiquiátrico. A estudante Julia Ramires Patuci, de 18 anos, reconheceu o agressor.

No últimos três meses, a Polícia Civil registrou 23 boletins de ocorrência de vítimas de ataques com seringa em estações do metrô da cidade. A maioria dos casos aconteceu em horários de pico e nas estações de maior movimento, como Sé e República da linha 3-Vermelha.

Dos 23 boletins registrados pela Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), apenas seis vítimas quiseram dar continuidade às investigações e as queixas se tornaram inquéritos policiais, segundo o delegado Rogério Marques. Em um deles, uma mulher chegou a levar aos policiais a agulha que a atingiu e ficou presa em sua roupa.

Veja SP