Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Polícia descobre plano para matar candidato a prefeito na PB; Vítima foi escoltada


A Polícia Militar em São Sebastião de Lagoa de Roça, município do Agreste paraibano, a 150 km de João Pessoa, descobriu e evitou uma tentativa de homicídio contra Walter Brito (PP), ex-deputado estadual, candidato a prefeito do município e pai de Walter Brito Neto (PEN), candidato a prefeito de Campina Grande. A informação foi confirmada na noite desta segunda-feira (12) ao Portal Correio por Walter Brito Neto. Por telefone, Walter Brito Neto contou que a PM soube de um plano para tentar assassinar Walter Brito e que, possivelmente, o crime seria realizado na noite desta segunda. “Estávamos nas ruas da cidade realizando campanha quando fomos abordados e avisados pela PM de que uma ligação havia sido interceptada e um grupo havia planejado um atentado contra meu pai. Isso poderia acontecer hoje [segunda]. A PM e a Polícia Rodoviária Federal nos localizaram e nos escoltaram até a saída da cidade para garantir nossa segurança”, contou Walter Brito Neto. Ainda segundo Walter Brito Neto, a família estranhou a possível tentativa de assassinato, já que Walter Brito não teria inimigos dentro do município. “Graças a Deus não aconteceu nada, o crime não foi consumado. O estranho é que na cidade não existe inimizade do meu pai com qualquer pessoa. Por isso, lamentamos o ocorrido e esperamos que isso não tenha motivações políticas”, concluiu Walter Brito Neto. Fonte: Portal Correio

Bebê de um ano fica entalada em panela de pressão no interior do AC


Uma menina de 1 ano e 4 meses ficou entalada dentro de uma panela de pressão na manhã desta terça-feira (13), no bairro José Moreira, em Brasileia, cidade distante 232 km de Rio Branco. Homens do 5° Batalhão do Corpo de Bombeiros precisaram ir até a casa para fazer o resgate da criança. Durante uma brincadeira, a bebê entrou na panela e, como dobrou as pernas, ela acabou presa. A mãe dela, a dona de casa Maria Rosemeire da Silva, diz que estava arrumando a casa no momento do ocorrido. "Ela estava brincando. Eu tinha botado a panela no chão e, quando vi, ela já estava gritando. Eu me 'aperreei' e um vizinho ligou para os bombeiros. Ela está bem". Os bombeiros tiveram que usar uma ferramenta para cortar a panela e liberar a criança. "Ela ficou presa com a parte do joelho e lombar dentro da panela. Como tem aquelas bordas viradas, tivemos que usar um material para cortar ferro. Fomos cortando e abrindo a borda com cuidado para não machucar a criança", contou o sargento Ângelo, que atendeu a ocorrência. O trabalho de resgate durou, no total, em torno de 10 minutos. "Conseguimos retirar a criança sem nenhum ferimento, com muito cuidado, porque ela podia se mexer. Tivemos que acalmá-la e a tiramos com êxito", acrescentou o militar. (Do G1)

Operação Medellín: Oito pessoas são detidas no Crato por tráfico de drogas na região


( Foto: André Costa )
Desde janeiro, Polícia realizou três fases da operação contra o tráfico de drogas no Cariri. Oito pessoas foram presas, ontem, no Crato, a aproximadamente 567Km de Fortaleza. Outros 15 mandados de busca e apreensão também acabaram cumpridos pela Polícia Civil. Os trabalhos fizeram parte da terceira fase da 'Operação Medellín', que tem como objetivo investigar e capturar suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas naquela região. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a ação contou com 60 policiais civis e 15 viaturas e ocorreu no bairro conhecido por Comunidade do Gesso. Lá, foram apreendidos drogas, armas de fogo e animais silvestres. Dois homens foram presos e um adolescente, apreendido com o material. José Wendel Dias de Brito, 25, foi preso com dois revólveres calibre 38, 3,5 kg de maconha, 150 gramas de crack e 60 gramas de cocaína. No local, também foi capturado Donizetti Fernandes Batista Filho, o "Daí", 22, em posse de munições de calibre 38 e cadernos com anotações sobre o tráfico de drogas. Ambos tinham mandados de prisão preventiva em aberto por tráfico de drogas. O adolescente, que não possuía passagens pela Polícia, foi apreendido em posse de aves silvestres e responderá a um ato infracional por crime ambiental. Segundo o delegado titular da Delegacia Regional de Crato, Giuliano Sena, "a operação ocorreu após apurações feitas pela Polícia, que identificaram que em duas ruas da comunidade do Gesso funcionavam aproximadamente 21 pontos de venda de drogas". Os nomes dos demais presos não foram informados. Etapas Batizada de 'Operação Medellín' em referência à cidade colombiana. A primeira fase da operação foi deflagrada em janeiro, resultando nas prisões preventivas de 43 pessoas suspeitas de envolvimento com o tráfico. Dias depois, outras pessoas foram presas, totalizando 50 capturados. A partir daí, investigações levaram à Polícia ao conhecimento de que traficantes tinham acesso fácil a armas e munições, inclusive de uso restrito das Forças Armadas. Já no dia 7 de julho, em conjunto pelas Polícias Civil e Militar, foi deflagrada a segunda fase da operação. Os policiais percorreram as cidades de Caririaçu, Juazeiro do Norte, Crato, Aurora, Barbalha e Missão Velha. Ao todo, 20 armas de fogo, sendo quatro revólveres calibre 38, quatro pistolas calibre 380, um rifle calibre 38 e 11 espingardas, mais de 2.500 munições de diversos calibres, inclusive de fuzil, foram apreendidas e nove pessoas foram presas por crimes relacionados ao comércio e posse ilegal de arma de fogo. Ao todo, 20 mandados de busca e apreensão foram cumpridos, além de cinco de condução coercitiva e um de prisão preventiva. Oito pessoas ainda foram presas em flagrante. Diário do Nordeste

Juristas pedem impeachment do ministro Gilmar Mendes do STF por falta de isenção e conduta partidária


Gilmar Mendes do PSDB
 Um grupo de juristas protocolou no Senado nesta terça-feira (13) um pedido de impeachment contra o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A representação acusa o magistrado, dentre outras infrações de “conduta partidária no exercício do mandato”. Leia a íntegra do pedido de impeachment de Gilmar Mendes Para os juristas, Mendes “tem-se mostrado extremamente leniente com relação a casos de interesse do PSDB e de seus filiados, tanto quando extremamente rigorosos no julgamento de casos de interesse do Partido dos Trabalhadores”. Dentre outros casos, o documento lembra de episódios como a crítica de Gilmar Mendes a Lei da Ficha Lima e acusa seus autores de “bêbados”. Segundo o ex-ministro da Ciência e Tecnologia do governo Lula, Roberto Amaral, um dos nomes que assinam o pedido, Mendes “esta é a primeira iniciativa de uma longa luta contra a perigosa e anti republicana partidarização do Poder Judiciário e do STF de forma particular”. Para o jurista, que foi presidente do PSB e deputado federal, “a partidarização do judiciário é uma ameaça à República, ainda mais sendo este poder o único que não é eleito pela população”. A conduta de Gilmar, para Roberto Amaral, “fere a constituição com seu comportamento partidário”. Além de Amaral, assinam a peça: os juristas Celso Antônio Bandeira de Mello, Fábio Konder Comparato, Sérgio Sérvulo da Cunha, Álvaro Augusto Ribeiro da Costa e direitos humanos Eny Raimundo Moreira. Ainda foram arroladas como testemunhas o escritor Fernando Morais, a historiadora Isabel Lustosa, o jornalista José Carlos de Assis, o ex-deputado Aldo Arantes e o professor Lincoln Penna. Postado em 14 de setembro de 2016 Do congressoem foco