Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Cenário de muita violência com ameaças, atentados e assassinatos no Interior às vésperas das eleições


Nos últimos três dias, 34 pessoas foram mortas no Ceará, sendo 19 delas no Interior Faltando menos de 72 para o início do pleito eleitoral do próximo domingo (2), o Interior cearense passa por momentos de tensão e violência. Somente nos últimos quatro dias (intervalo entre o domingo e a quarta-feira), nada menos que 34 pessoas foram assassinadas no estado e destas, 19 em municípios interioranos. O clima de acirramento político tem produzido atentados, ameaças e também mortes. Por conta desse clima de animosidade, o reforço policial que deveria ser deslocado nesta sexta-feira (30), foi antecipado para alguns Municípios onde a violência tem sido mais intensa. É o caso, por exemplo, da cidade do Icó (a 375Km de Fortaleza), onde foi determinada uma “Operação Ocupação” com equipes policiais da Capital e até um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), além de efetivos do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e do BPRaio. Sem contar com tropas federais (Exército Brasileiro) nestas eleições, o Ceará deverá ter garantidas as eleições somente com efetivos estaduais (polícias Civil e Militar), além da própria Polícia Federal. Somente da PM, serão mobilizados 5.600 homens em um efetivo extra. Na Região Metropolitana de Fortaleza, a maior preocupação é com o Município de Caucaia, onde o acirramento da campanha já produziu até assassinatos e as denúncias de compra de votos e de financiamento de campanha por parte de facções criminosas teriam por trás sido ações de uma milícia armada. Violentos Outros Municípios que estão sendo alvo da ação redobrada do Tribunal Regional Eleitoral e das forças da Segurança Pública são: Sobral, Acopiara, Iguatu, Aiuaba, Saboeiro, Senador Pompeu, Mombaça, Quixadá, Juazeiro do Norte, Lavras da Mangabeira, Quixeramobim, Amontada e Boa Viagem. Em Aiuaba, na Região dos Inhamuns (a 430Km da Capital), um vereador candidato à releição foi executado a tiros na noite do último sábado (24), quando tinha acabado de participar de uma carreata seguida de comício na zona rural. O Município também já está com reforço policial desde o fim de semana passado.

VALE A PENA VER DE NOVO: Vídeo mostra briga entre jornalista e candidato a senador no Acre


Matéria exibida no Site G1 em 11/08/2010 14h30 - Atualizado em 11/08/2010 14h52.


João Correia (PMDB) trocou insultos com apresentador de emissora. "Fui espancado", disse Correia. 'Ele estava desequilibrado', disse jornalista.

Um vídeo que registra a pancadaria entre Demóstenes Nascimento, apresentador da TV 5, afiliada da Rede Bandeirantes no Acre, e o candidato ao Senado João Correia (PMDB-AC), foi parar na internet nesta quarta-feira (11). O material foi gravado na tarde desta terça (10) para um programa de entrevistas que seria exibido pela emissora na noite do mesmo dia. O programa não foi ao ar.

Segundo Nascimento, a emissora realiza uma rodada de entrevistas com os candidatos ao Senado pelo Acre. A certa altura da gravação com Correia, o candidato aparece no vídeo insultando o apresentador: “Você é um merda de nada, rapaz...” Demóstenes revida: “Merda é você, rapaz”.

A gravação foi postada no site YouTube na manhã desta quarta (11). São 45 segundos de bate-boca. O jornalista afirmou que o vídeo exibido pelo site é autêntico, sem edição.

O candidato acusa o apresentador de ter ligações com o governo do Acre. “Você é uma criatura... Ah, com educação, com educação, seu lacaio. Você é um lacaio, um empregado do governo e ponto final”, afirmou Correia.

O jornalista então resolve encerrar a entrevista e é quando a briga começa. “Nós vamos encerrar nossa entrevista aqui, porque não dá para conversar com este cidadão. Corta.”

Versão do jornalista

Por telefone, o jornalista Demóstenes Nascimento relatou sua versão ao G1. “A direção da televisão reuniu todos os representantes de coligações para a gente fazer uma rodada de entrevistas com candidatos ao Senado e depois ao governo. As mesmas perguntas foram separadas para todos os candidatos, tudo certinho.”

Ainda segundo o jornalista, foi no momento em que a entrevista foi encerrada que o candidato se irritou. “O cara estava completamente desequilibrado, fugiu das perguntas para denegrir a imagem de todo mundo. Ele começou a me xingar e tive de encerrar a entrevista porque não tinha como colocar aquilo no ar. Aí, cancelei a entrevista e ele veio pra cima de mim e tive que me defender”, afirmou.

Tanto o jornalista quanto a emissora de TV prometeram acionar judicialmente o candidato.

Versão do candidato

Ao G1, depois de prestar depoimento à polícia nesta quarta, João Correia disse que o episódio “não foi uma briga”, mas um “espancamento”.

“Não foi briga. Eu fui espancado. Não tive nem chance de me defender”, afirmou Correia.

O candidato disse ter sido agredido pelo apresentador por ter feito acusações sobre supostas irregularidades que envolveriam os proprietários da emissora de TV que organizou a entrevista. Correia disse que o partido irá acionar a Justiça Eleitoral para apreender a fita e adotar as medidas cabíveis.

“O partido vai ingressar na Justiça Eleitoral para fazer a apreensão da fita. Não sou grande coisa, mas também não sou o Escadinha, o Bandido da Luz Vermelha. O meu medo é que isso vire bala de fuzil. Mas eles não vão me parar. Só se me matarem”, avisou Correia.

Fonte: G1 com YouTube