Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

domingo, 9 de outubro de 2016

Petrobras anuncia encerramento de atividades da Usina de Quixadá no próximo 1º de novembro



A Petrobras anunciou, na quinta-feira (6), que irá encerrar as atividades produtivas da Usina de Biodiesel de Quixadá no próximo 1º de novembro.

"Considerando que de acordo com as projeções, não haveria uma solução para a usina em curto prazo e sem novos investimentos, o Conselho de Administração da Petrobras Biocombustível optou por encerrar a produção de biodiesel no Ceará e assim focar recursos em projetos com maior rentabilidade", afirmou a estatal em nota.

Segundo a Petrobras, a desmobilização será realizada durante os próximos seis meses, transferindo empregados próprios para outras unidades e realocando os funcionários cedidos.

As usinas de Monte Claros (MG) e a de Candeias (BA) continuarão a operar normalmente. "Estudamos alternativas para estas unidades, em linha com as metas do nosso Plano de Negócios".

Fonte: Ceará News 7

Álcool é a causa direta de sete tipos de câncer


O consumo de bebidas alcoólicas implica um risco direto para o desenvolvimento de, pelo menos, sete tipos de câncer, entre eles, o de mama. Os dados são de um estudo publicado na revista Addiction e conduzido por Jennie Connor, da Universidade de Otago, na Nova Zelândia.

De acordo com o site Curiosidades, as evidências são fortes e relacionam o álcool com o câncer. Segundo a pesquisa, o álcool é responsável pela morte de cerca de meio milhão de pessoas por câncer. Só em 2012, o câncer foi a causa de 5,8% das mortes em todo o mundo.

O estudo da Nova Zelândia deve, a médio prazo, influenciar as autoridades de saúde para cobrarem das indústrias a inclusão de rótulos de advertência nas garrafas de bebidas alcoólicas, alertando para o risco de câncer.

EVIDÊNCIAS

A pesquisa encontrou evidências da ligação entre o consumo de álcool e o câncer de boca, garganta, laringe, esôfago, fígado, cólon, intestino e de mama. A equipe responsável afirma que o risco aumenta à medida que a quantidade de álcool consumida também aumenta.

No entanto, as razões biológicas exatas pelas quais o álcool causa câncer permanecem obscuras. Uma teoria é que o álcool possa danificar o DNA humano, causando mutações prejudiciais.

Fonte: Noticias ao Minuto

Homem é condenado por transmitir HIV "de propósito" a mulher no DF


A Justiça do Distrito Federal manteve a condenação de um homem acusado de transmitir o vírus HIV intencionalmente à parceira, entre 2009 e 2010. Ele responde por lesão corporal gravíssima e foi condenado a dois anos de prisão – pena mínima para o crime. A decisão foi unânime, mas o réu ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo os autos do processo, o casal conviveu por cerca de dois anos, entre 2009 e 2011. Em março de 2010, a vítima recebeu uma mensagem de celular da ex-esposa do acusado, informando que o homem era portador do vírus HIV. Confrontado, ele negou a informação.

Em julho do mesmo ano, ao arrumar o guarda-roupas do casal, a mulher teria encontrado uma caixa de remédios para o tratamento da Aids. Ela voltou a interrogar o parceiro mas, segundo o processo, o homem disse que tinham recebido a medicação incorreta, por um "erro no diagnóstico".

A mulher insistiu, e os dois seguiram a um laboratório para fazer o teste de sorologia. O resultado confirmou que ambos estavam contaminados pelo vírus.

Na delegacia, segundo a denúncia, o homem confessou que conhecia o próprio diagnóstico desde 2004 e que, mesmo assim, fazia questão de transar com a parceria sem preservativo. Disse, também segundo a ação, que sabia que o vírus HIV era letal e que poderia estar levando a companheira à morte.

À Polícia Civil, o réu também afirmou que agiu dessa maneira porque não queria se separar da mulher e acreditava que, se ela descobrisse ser portadora do vírus, provavelmente continuaria com o relacionamento. Em juízo, o homem negou todo o depoimento concedido na delegacia.

Recurso negado

Na primeira decisão, o juiz concluiu que a conduta do acusado correspondia ao crime de lesão corporal gravíssima. O Código Penal prevê esse tipo de denominação para agressões que causem incapacidade permanente para o trabalho, enfermidade incurável, perda ou inutilização de membro, sentido ou função, deformidade permanente ou aborto.

O crime prevê reclusão de 2 a 8 anos. O juiz decidiu pelo tempo mínimo, de dois anos, e concedeu a suspensão condicional da pena pelo prazo de quatro anos. Ainda assim, o réu recorreu e pediu que o crime fosse desclassificado para "perigo de contágio de moléstia grave", que tem pena de 1 a 4 anos.

O recurso foi negado pela 2ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça porque a Aids, no entendimento do colegiado, é incurável e demanda atenção do portador por toda a vida. Para o tribunal, a lesão corporal gravíssima "absorve" o perigo de contágio, e não o contrário.

Avanço médico

Em julho, pesquisa divulgada pela revista científica "Journal of American Medical Association" (JAMA) mostrou que o tratamento com antirretrovirais reduz significativamente o risco de contágio de HIV entre casais, mesmo quando eles têm relações sexuais sem preservativo.

O estudo é o mais amplo que analisa a questão de quão arriscado é para os chamados casais sorodiscordantes terem relações sexuais desprotegidas quando o parceiro infectado está suprimindo sua carga viral com medicação.

A pesquisa envolveu 900 casais - cerca de dois terços deles eram de heterossexuais, e o resto eram de homens homossexuais.

Após uma média de 1,3 ano, o estudo não encontrou casos em que o parceiro HIV positivo, que estava tomando medicação para suprimir o vírus, tenha infectado o outro parceiro.

Fonte: G1