Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sábado, 22 de outubro de 2016

Vídeo mostra bandidos humilhando vítimas de assalto na Aldeota (veja imagens)

A onda crescente de assaltos em Fortaleza, com o roubo de veículos, fez mais duas vítimas em plena zona nobre da cidade. Imagens do ataque de bandidos a dois homens no bairro da Aldeota mostram a ousadia e violência dos criminosos. Além dos momentos de medo, com armas apontadas em sua direção, as vítimas são ainda humilhadas e obrigadas a ajoelhar-se diante dos criminosos.
O vídeo foi gravado pelas câmeras da portaria de um condomínio localizado na esquina das ruas Ana Bilhar e Coronel Linhares. Pelo menos, quatro homens aparecem armados no momento em que as vítimas chegam na calçada do condomínio.
Surpreendidos, os dois homens, um deles já idoso, não têm chance de nenhuma reação. São obrigados a obedecer às ordens dos assaltantes. Em seguida, os ladrões passam a exigir dinheiros e objetos pessoais. Por fim, um deles obriga as vítimas a ficar de joelhos da calçada.
Em seguida, o bando foge levando o veículo dos assaltados. Até agora, a Polícia não conseguiu identificar os quatro assaltantes.
O local onde aconteceu o crime faz parte da Área Integrada de Segurança Três (AIS-3),  cujo policiamento é de responsabilidade do 8º BPM (Papicu).
Mortos e feridos
Somente em uma semana, duas pessoas foram mortas e outras quatro baleadas em assaltos na Capital, crimes que ocorreram nos bairros Montese (três casos), Antônio Bezerra e Conjunto Ceará.
A primeira vítima foi o oficial da PM, Marcos Paulo Lira Ribeiro, assassinado por assaltantes durante roubo a uma loja de celulares na Rua Jorge Dummar, no Montese. A segunda, o comerciante português Nuno Antônio Portugal Torres, morto, a tiros, em sua loja de jogos eletrônicos e joias, no mesmo bairro.
.blogdofernandoribeiro.com.br

Nova unidade especializada da Polícia Civil prende quadrilha que resgatou 19 presos em três delegacias

Andrade Júnior
Delegado-Geral, Andrade Júnior, falou sobre a investigação que identificou e prendeu a quadrilha
A Polícia Civil cearense divulgou, ontem (20), em coletiva de Imprensa, o primeiro trabalho investigativo  realizado pela mais nova unidade operacional da instituição, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). A Especializada efetuou a prisão de uma quadrilha composta por nove pessoas, responsável por  ataques a delegacias e resgate de presos.
Em desses crimes,  policiais foram feitos reféns, armas da Polícia foram roubadas e cidadãos que aguardavam atendimento na delegacia acabaram sendo assaltados ali mesmo. Tudo isso ocorreu na manhã do último dia 11, quando o grupo invadiu as dependências do 3º DP (Otávio Bonfim), localizado na Avenida Bezerra de Menezes.
 Imagens captadas pelas câmeras de segurança da delegacia mostram a ação da quadrilha. Uma criança de apenas 8 anos de idade, filha de um inspetor daquela unidade, virou um dos reféns do bando armado.
Além do caso do 3º DP, o bando teria também agido na Delegacia Metropolitana de Itaitinga (DMI) e na sede da Delegacia Geral da Polícia Civil (DGPC), no Centro da Capital. Nos três resgates, 19 presos acabaram fugindo.
Quadrilha
As nove  pessoas presas como integrantes da quadrilha foram identificadas como: Francisco Galdino Pinheiro, 40 anos; Roberto da Silva Miranda, 21, o “Robertinho”; Maria Isabel Alves Pinto, 31; Luismar Rodrigues da Rocha, 27, conhecido por “Gago”;  Luiz Gustavo Ferreira Lima, 24, conhecido por “Cobra”; Marcos Venicius Vieira Castro, 30; Maria Fernanda de Sousa Freitas, 24; Maria Rosângela Oliveira do Nascimento, 32; e Luiz Carlos Cruz Lima.
 Dos nove suspeitos, cinco já têm histórico criminal por delitos como roubos, tráfico de drogas, homicídio, porte ilegal de arma, crime de trânsito e apropriação indébita.
Recapturados
Além da prisão da quadrilha responsável pelos resgates, a Draco também conseguiu recapturar cinco dos detentos que haviam fugido com a ajuda do bando. São eles: Alexandre Santos da Costa, 24 anos, conhecido pelos apelidos de “Novinho”, “Cuscuz” ou “Lourinho”; John Éricles Nascimento da Costa, 20; José Nagíbio de Sousa Santos, 30; Eliano Menezes da Silva e Bruno da Silva Oliveira.  Todos são considerados de alta periculosidade e responde por crimes de assalto (roubo), receptação, tráfico de entorpecentes e porte ilegal de arma de fogo.
Para comandar a Draco, o delegado geral da Polícia Civil do Ceará, Andrade Júnior, nomeou o delegado Osmar Berto, que até então era o titular do 6º DP (Messejana) e responsável pelo trabalho da Polícia Judiciária na  Área Integrada de Segurança Quatro (AIS-4). 
blogdofernandoribeiro.com.br

Danilo Gentili é condenado a pagar R$ 20 mil de indenização a pastora


Yonara não se contentou com a indenização e recorreu pedindo R$ 6 milhões, mas Band e Gentili também recorreram (Foto: Divulgação)

As piadas de Danilo Gentili estão lhe trazendo problemas novamente. Para ele e para a emissora, a Band. Ambos foram condenados pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) a pagarem indenização de R$ 20 mil à pastora Yonara Amaral de Lira, por piada feita no extinto programa "Agora é Tarde".

No dia 18 de outubro de 2013, o cantor Gabriel O Pensador e os humoristas Rafinha Bastos e Davi Mansour comentaram o testemunho da pastora que disse ter ido ao céu a ao inferno 15 vezes, segundo informa o IG.

“O que ela foi procurar no inferno? Com certeza foi r***! Quando chegou lá falou ´ah, essa r*** não é para mim, ninguém quer me comer, só tem viado aqui”, disse Gentili na época. O comentário saiu caro. Em dezembro de 2014, a juíza Maria Eunice Torres do Nascimento deu vganho de causa à pastora e destacou: "Importante destacar que sob o manto da liberdade de expressão não está, a imprensa, autorizada a ultrajar e denegrir à honra e dignidade da pessoa humana", determinou.

Yonara não se contentou com a indenização e recorreu pedindo R$ 6 milhões, mas Band e Gentili também recorreram alegando que a intenção era fazer rir e não ofender.

Na última segunda-feira (17), o desembargador Wellington José de Araújo manteve a condenação e disse que "o valor de R$ 20 mil mostra-se consentâneo com os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade".


estadao