Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

terça-feira, 4 de abril de 2017

Vídeo mostra casal ‘grudado’ após sexo sendo transportado até hospital; assista


Foto: Reprodução / Youtube Uma mulher teria sofrido de vaginismo - contração involuntária dos músculos da vagina - durante a relação sexual e ficado presa ao seu companheiro, no Quênia. O casal estava em um hotel quando ela teria sofrido de vaginismo e o homem não conseguia retirar seu pênis. O casal foi transportado em uma estrutura de madeira até o hospital. A mídia local está divulgando um vídeo do incidente. No vídeo, os dois são carregados pela cidade, enquanto ainda estão "grudados". A mulher cobriu o rosto com um lençol durante esse transporte.

No táxi! Mulher morta, homem baleado e fuzil encontrado em porta-malas


Daiana Carvalho do Vale, 23 anos, foi assasinada com 5 tiros dentro de um táxi na localidade do Caic, no bairro de Itinga, em Lauro de Freitas-BA, nesta segunda (03), por volta de 12 horas. No bolso de Daiana, havia uma dolinha de maconha. Já o motorista Anderson Jesus da Costa, 42 anos, recebeu dois tiros e sobreviveu. Ambos foram socorridos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itinga . No porta-malas do veículo foi encontrado um fuzil 762 com mira telescópica. De acordo com policiais em contato com o Informe Baiano, a corrida foi iniciada em Salvador, no bairro da Federação. O caso ainda é um mistério e está sendo acompanhado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
 IB

Reforma política: relator vai propor fim dos vices e voto em lista fechada; conheça propostas

O relator da reforma política na Câmara, deputado federal Vicente Cândido (PT-SP), irá apresentar nesta terça-feira (4) o relatório com propostas a serem debatidas pela comissão especial que discute o tema na Casa.

Em uma das propostas, será sugerido o fim dos vices em todas as instâncias de governo e a mudança no fundo de financiamento para campanhas eleitorais, segundo adiantou Vicente Cândido, ao portal G1. "Vamos ter de encarar o financiamento público, e a lista fechada é a maneira mais barata", defendeu.

Propostas do relator para reforma política:

* fim dos cargos de vice-presidente, vice-governadores e vice-prefeitos;
* criação de um fundo para financiar campanhas eleitorais abastecido em 70% com recursos públicos e 30% oriundos de doações de pessoas físicas;
* voto em lista fechada - em que o eleitor vota no partido, e não diretamente em um candidato para ocupar as vagas do Legislativo;

"80% do mundo pratica lista fechada", avaliou Vicente Cândido. Ele propõe período de transição pelo sistema de lista fechada para as eleições de deputados e vereadores em 2018, 2020 e 2022. A partir de 2026, o sistema seria o distrital misto, baseado no sistema alemão, “adaptado às condições brasileiras”. Pelo sistema, elege-se a metade dos deputados federais por distrito e a outra metade por lista fechada.

6 mil vices

Na visão do petista, o país joga “dinheiro fora” ao manter cargos de vices. “Temos quase 6 mil vices no Brasil, que devem ter no mínimo mais dois cargos [de assessor]. Então, temos um exército de 15 mil pessoas que ganham para não fazer nada”, completa.

Prazo poderá ser prorrogado

O relator irá se reunir com lideranças de partido antes da entrega final do parecer, podendo realizar alterações nas últimas horas. “Havendo acordo entre líderes [de partido], apresento o parecer na terça. O relatório vai estar pronto, poderá ter um ou outro ajuste. Se acharem conveniente, seguro para conversar um pouco mais com as bancadas. Isso não será nenhum problema”, disse ao G1.

Para o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Gilmar Mendes destacou que qualquer mudança no sistema eleitoral deve ocorrer até 2 de outubro para que possam valer nas eleições de 2018.

G1