Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sábado, 22 de abril de 2017

COVARDIA: Estudante entra em luta corporal com bandido durante assalto em Fortaleza; assista


Vídeo mostra aluna tentado se defender de assalto ao lado de escola.
Alunos de uma escola e moradores da 3ª Etapa, no Conjunto Ceará, estão preocupados com a onda de violência na região. Pessoas reclamam que os assaltos a quem vai à escola são frequentes.

A equipe do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, teve acesso ao vídeo que mostra um dos crimes na região. Na ação, a estudante assaltada entra em luta corporal com um bandido que usa a força para levar o celular da jovem.

Veja todos os detalhes do assalto no vídeo da matéria do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Com informações do Tribuna do Ceará

Áudios revelam trama de bandidos presos para explodir delegacias e matar policiais e agentes penitenciários



Áudios descobertos pela Inteligência da Polícia cearense revelam planos de criminosos ligados à facção Guardiões do Estado (GDE) para atacar delegacias, matar policiais e agentes penitenciários. As gravações foram feitas a partir da troca de diálogos, via celular, entre os bandidos reclusos em unidades do Complexo Penitenciário em Itaitinga e Caucaia.

Em um dos áudios, um criminoso chega a dizer que “tocar fogo em coletivo não resolve. O certo é explodir delegacia, tocar fogo em delegacia e matar esses vermes fardados”. Em resposta, outro detento fala em “balançar o estado” e mais: “O estado é nosso e esses vermes têm que ir pro inferno mesmo, entendeu?”, numa referência às autoridades policiais.

O terceiro áudio revela que um bandido sugere mudança de estratégia nos ataques que vêm acontecendo em Fortaleza. Ele diz: “Tocar fogo em ônibus não é bom não. Tocar fogo só nos pneus, em frente às garagens para ônibus não sair. É paralisar o acesso”.

Ameaças aos agentes

A quarta gravação o detento que fala ao celular com os comparsas cita a sua facção e diz que o plano é atacar agentes que fariam parte do Grupo de Apoio Penitenciário(GAP), uma equipe de elite formada por agentes da Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus) que atuam na prevenção e intervenção para impedir fugas e sufocar atos de indisciplina, como motins e rebeliões.

O preso então, diz: “No nosso estado, o GDE (a facção Guardiões do Estado) é pressão. E aí, como é que nós vamos fazer para resolver essa situação? A ideia é mandar uma respostas pra esses pirangueiros desses agentes do GAP”.




Fonte: Jornalista Fernando Ribeiro