Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Idade mínima proposta pelo governo em reforma da Previdência será de 65 anos


O presidente Michel Temer (PMDB) reuniu nesta segunda-feira (5) líderes da base aliada na Câmara e no Senado para pedir apoio à sua proposta de Emenda Constitucional que muda as regras da Previdência, o que altera as formas em que o brasileiro pode se aposentar.
Ele anunciou que haverá idade mínima para se aposentar, mas não revelou mais detalhes, de quanto seria essa idade. As especulações é de que seriam 65 anos. Os detalhes serão conhecidos nesta terça-feira (6), quando a proposta será levada ao Congresso pelo governo.
O presidente disse que o direito adquirido não será afetado.
"Nada muda para aqueles que já recebem os benefícios ou que já completaram seu período. Muitos estão pedindo certidão do tempo de serviço. Aquels que já completaram as condições para o acesso não precisam se preocupar."
Ele confirmou informações já divulgados de que as mudanças quem tem menos de 50 anos. Para o que têm mais de 50 anos, haverá uma regra de transição mais suave, mas também não revelou detalhes.

Aposentadoria está em risco sem reforma, diz Temer

O presidente disse que, sem a reforma, pode não haver aposentadoria para todos.
"A reforma da Previdência é necessária, sob pena de colocar em risco o recebimento de aposentadorias e pensões desta geração e das próximas gerações.
Hà necessidade urgente de se realizarem os ajustes, para preservar a Previdfência hoje e fazê-la valer amanhã, senão não teremos uma Previdência sustentável."

Ele disse que o perfil da sociedade vem mudando rapidamente e, como as pessoas estão vivendo mais, não há dinheiro para manter as aposentadorias no futuro.
Fonte: UOL

Aeronáutica investiga queda do helicóptero que matou noiva e mais três



Peritos do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa IV) passaram a manhã desta segunda-feira (5) em busca de indícios que possam esclarecer o motivo da queda do helicóptero com quatro vítimas fatais, no final da tarde de domingo (4), na estrada da Barrinha, em São Lourenço da Serra, na Grande São Paulo, distante cerca de 60 quilômetros da capital paulista. Morreram no acidente, além do piloto, um homem e duas mulheres, entre elas Rosemeire Nascimento Silva, que estava vestida de noiva e seguia para seu casamento em um sítio daquela região. Ela e o irmão, que também estava no vôo, Silvano Nascimento Silva, serão sepultados no final da tarde desta segunda, no cemitério Parque dos Ipês, em Taboão da Serra. A Secretaria de Segurança Pública informou que todos os corpos levados para o Instituto Médico Legal (IML) Central de São Paulo já foram liberados. O aparelho caiu em uma área de mata fechada e não pegou fogo, segundo informações do Corpo de Bombeiros, que mobilizou oito viaturas para o local. De acordo com a Agência de Aviação Civil (Anac), a aeronave estava com o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia. Conforme o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), a matrícula era PR-TUN. O helicóptero tinha capacidade para transportar até três pessoas. Agência Brasil