Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Estudo: 40% das pessoas preferem wi-fi a sexo, álcool e chocolate


Um estudo realizado pela plataforma iPass, com a participação de mais de 1700 voluntários dos EUA e da Europa, concluiu que 40% das pessoas escolhe a ligação WI-FI como a coisa mais essencial no dia, enquanto 37% escolheu o sexo, 14% chocolate e 9% álcool.

Patricia Hume, chefe comercial da iPass, comentou: “Wi-Fi não é apenas o método mais popular de ligação à internet, ele superou muitos outros luxos e necessidades humanas. A ideia de que o Wi-Fi seria considerado mais importante do que o sexo, o álcool e o chocolate seria impensável há alguns anos".

O estudo mostra ainda que o WI-FI também influencia as escolhas que as pessoas fazem nas suas viagens e deslocações. Ao todo, 72% dos inquiridos admitiu já ter escolhido hotéis com base na sua experiência de WI-FI e 21% admite fazê-lo sempre.



Fonte Noticias ao Minuto

PRESIDIÁRIO SOLTO PARA O NATAL É PRESO APÓS ESTUPRAR ADOLESCENTE DE 13 ANOS

PRESIDIÁRIO SOLTO PARA O NATAL É PRESO APÓS ESTUPRAR ADOLESCENTE DE 13 ANOS
O presidiário Claysson Lima de Araújo, que estava solto para as festas de Natal, foi preso nesta sexta-feira em Ji-Paraná após estuprar uma adolescente de 13 anos dentro de casa. 

O criminoso foi agredido por populares revoltados Segundo a Polícia, o crime aconteceu no Bairro São Pedro, 1º Distrito de Ji-Paraná por volta das 8 horas, quando Claysson, o “Capeta do Dom Bosco”, invadiu a casa da adolescente e com uma faca, a ameaçou de morte. 

Em seguida, tapou a boca da vítima e a despiu. Depois, jogou a menina ao chão e começou a mordê-la por todo o corpo, até consumar o estupro. 

Momentos depois o estuprador percebeu que uma tia da criança se aproximava da casa e fugiu pelos fundos, se embrenhando no mato. Enquanto fugia, a mulher viu o marginal e correu para dentro da casa para ver o que estava acontecendo. Ao presenciar a sobrinha caída, toda ensanguentada, ela gritou por socorro.

Vários moradores saíram no encalço do marginal e cercaram o local até a chegada da Polícia Militar. Durante horas, os policiais fizeram uma varredura minuciosa pelo mato, porém nenhum suspeito foi localizado.

Já por volta das 13 horas, o presidiário foi avistado saindo do mato. Ele foi perseguido pelos populares e atacado. A PM chegou rápido, evitando que ele fosse morto.

O criminoso cumpre pena em um presídio em Vilhena

freelance24horas.

A internet não pega na casa toda? Saiba como melhorar o Wi-Fi sem gambiarra


Em alguns cantos da casa o sinal de Wi-Fi simplesmente não existe. Para receber e enviar mensagem, imagem ou vídeo, todo mundo já sabe para onde correr. Essa é uma situação comum. Paredes, móveis e até outros eletrodomésticos prejudicam o recebimento e a transmissão de dados, mas existem meios para melhorar a distribuição de conexão pelos cômodos. Trocar o roteador ou a antena e investir em repetidores são algumas soluções -- isso sem contar as gambiarras já comuns como colocar palha de aço ou latinha de alumínio na antena.

Antes de entupir a casa de repetidores, aparelhos que replicam o sinal do Wi-Fi, tente realocar o roteador. Nem sempre ele está no melhor lugar. "Na maioria das vezes, a perda de sinal está ligada a muitos obstáculos e posicionamento inadequado do access point", afirma Joselito de Sousa Barros, professor do curso técnico em informática do Senac.

"O que realmente deve-se considerar é a velocidade de comunicação necessária e o posicionamento do equipamento, que preferencialmente deve estar mais ao centro do ambiente, de forma a propagar uniformemente as ondas transmitidas".

Se já tentou colocar o roteador em diversos lugares sem sucesso, talvez seja a hora de reavaliar o equipamento que está usando. Pode ser que você tenha um modelo antigo nas mãos. Pense há quanto tempo o roteador está em sua casa.

"Como o avanço tecnológico é vertiginoso", disse Sousa Barros, "o volume de dados que trafegam pela rede aumenta proporcionalmente a esse avanço, logo se faz necessário que a infraestrutura que suporta esses serviços acompanhe essa evolução. Com isso, padrões de rede antigos não têm mais espaço, obrigando seus usuários a substituí-los". 

"Tem que ser um casamento"

Antes de comprar novos dispositivos, Sousa Barros recomenda conhecer os equipamentos, descobrir compatibilidades e pensar em aquisições futuras. "Tem que ser um casamento", disse.

Se seu roteador suporta a troca de antena, essa será uma opção econômica. Segundo Sousa Barros, alguns dispositivos chegam às lojas com antenas de 12 ou 15 dBi e poderiam ter maior alcance e qualidade de sinal apenas trocando a antena por uma de 25 dBi - algo em torno de R$ 30. No entanto alguns fabricantes produzem roteadores com antenas fixas ou internas.

"Milagres não existem nessa área", disse. "Se você quer acessar suas redes sociais pelo smartphone no cantinho do seu quarto, a 50 metros do transmissor e com dez paredes de concreto separando-os, não vai ser a troca da antena que resolverá seu problema".

O repetidor de Wi-Fi, como o próprio nome indica, é usado para repetir um sinal já existente. Na prática, ele amplia a área de cobertura. Para grandes propriedades, a combinação de antena e repetidores fazem grande diferença.

Quando muitos repetidores são instalados em ambientes próximos, no entanto, eles podem se tornar fontes de interferência. "Não há um limite estabelecido para a instalação de repetidores, mas temos que ser sensatos", contou.

"A maioria dos repetidores é detectada pelo equipamento principal (roteador) como outro dispositivo de rede (host) para que um canal seguro seja criado. Existem alguns modelos que são mais 'comunicativos', amplificado qualquer sinal detectado".

Quando o ambiente for grande ou com muitos obstáculos, repetidor e antena podem funcionar. Tudo depende, é claro, da velocidade que seu plano diz que entrega. Vale lembrar que trocar roteador ou antena ou investir em repetidores não aumenta o plano que contratou, mas faz com que você aproveite melhor o que já paga.

Fonte: tecnologia uol