Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Irmã de Leo Santana causa alvoroço nas redes sociais com foto de biquíni



Naiara Santana, irmã do cantor Leo Santana, decidiu mostrar a boa forma mais uma vez nas redes sociais. E com um corpo de dar inveja, a morena causou o maior alvoroço na web. Em seu perfil oficial do Instagram, ela compartilhou uma foto em que aparece de biquíni e ganhou inúmeros elogios dos seguidores. 

"Menina tu arrasa sua linda ! Quando eu crescer vou ser que nem você", escreveu uma internauta. "que barriga é essa...tá lindíssima!!!", brincou outra. A publicação acumulou mais de 2 mil curtidas, entre os que gostaram da imagem, cantores e nomes conhecidos da mídia baiana.

PEGOU MAL: "Desafio qualquer um desses pilantras que estão aí", diz delegado geral sobre grevistas



O delegado geral da Polícia Civil, Andrade Júnior, fez críticas à greve da categoria durante reunião de escrivães com nomeações para 2ª e 3ª chamada. A reunião aconteceu nessa terça-feira (1º), na Delegacia Geral, no Centro, e um áudio com o pronunciamento do delegado vazou nas redes sociais.

Andrade diz que os policiais que estão na greve, que é considerada ilegal, começarão a ser notificados para entregar carteira, distintivo e arma.

“Não posso respeitar essa ilegalidade que estão cometendo, se vocês têm amigos (policiais que aderiram à greve), a única saída deles é se apresentar imediatamente no trabalho. Os colegas que estão em Iguatu, liguem para eles, não é ameaça do delegado geral, ameaça é quando você manda fazer uma coisa errada, estou mandando trabalhar e os senhores estão sendo convocados para trabalhar”, relatou o delegado geral.

Ainda no áudio, o delegado afirma que os nomeados devem entrar em um momento muito difícil da instituição e que o discurso não era para ser tão duro, mas ele não iria “abrir” para ninguém. “Tenho 45 anos de idade e 29 de serviço público, comecei a trabalhar bem cedo e nunca cometi ilegalidade dentro de uma função e desafio a qualquer um desses pilantras que estão aí”, disse.

Ele avisa que se os nomeados entrarem para “engrossar esse couro”, ou seja, participarem do movimento grevista, não ingressem . E alerta que é fácil o servidor em estágio probatório rejeitar a greve ilegal, pois o servidor, quando entra na Polícia Civil, está sendo avaliado todos os dias, durante o período de três anos. ”O que coloco para dentro coloco para fora. Tenho mais duas turmas. Mando toda a Polícia Civil, mas aqui funciona”, afirmou no áudio.

“Aqui não é casa de menino não, não é casa de brincadeira”, disse o delegado. Andrade Júnior explica, no áudio, que respeitou a greve, enquanto estava dentro da legalidade e que até foi criticado por aceitar que o comando de greve afirmasse quais as delegacias que iriam funcionar, mas que diante da ilegalidade, ele iria respeitar “o que é certo”.

Nomeações

O delegado afirma que estava vindo do Gabinete do Governador do Estado, Camilo Santana, pois vai nomear esses escrivães e afirma que vai precisar deles. Ele alerta que “muita gente” vai para a rua e que podem achar ruim. “Foi um momento inoportuno e oportuno para os senhores, não queria que entrassem nessas circunstâncias”, relatou.

Andrade alega que o sindicato dos policiais civis mentiu para a categoria, pois ele havia prometido que até o dia 30 de outubro resolveria a questão da reivindicação salarial, mas que o presidente do Sinpol, Francisco Lucas, não teria aceitado a negociação.

“Disse a cada um deles que sairia da delegacia geral se em 30 dias não resolvesse isso. Mandei gravar e não quiseram. Sei que a maioria é gente boa e precisa de emprego, mas fica para os senhores e senhoras o recado de que vamos nomeá-los”, disse.

Sinpol

De acordo com a vice-presidente do Sinpol, Ana Paula Cavalcante, os policiais não estão por um favor do delegado geral. “Ele esquece que existe um processo legal, não estamos na Polícia por favor do Andrade Júnior, mas porque concorremos e fomos aprovados”, comentou.

Para a líder do movimento, o que o delegado geral e a Controladoria Geral de Disciplina (CGD) estão fazendo é criminoso e alerta que está entrando com processo criminal e administrativo contra o delegado geral.

“Os policiais que se sentirem moralmente ofendidos terão o nosso jurídico a disposição para entrar com ação de danos morais”, relatou.

Com informações do O POVO Online

Senado aprova vaquejada como "manifestação cultural nacional"



Nesta terça-feira, 1º, o Senado aprovou, em votação simbólica, projeto de lei que classifica a vaquejada como patrimônio cultural imaterial (PLC 24/2016). A matéria vai a sanção presidencial. Mais cedo, a Comissão de Educação do Senado havia aprovado o projeto de que eleva a vaquejada e o rodeio à condição de manifestação cultural nacional. A decisão não legaliza definitivamente o evento, mas é o primeiro passo para reverter a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que tornou ilegal a prática desses eventos.

O projeto já passou pela Câmara dos Deputados e teve total empenho e apoio do deputado federal, Líder do Solidariedade e presidente do partido no Ceará, Genecias Noronha.

“A inclusão da vaquejada como patrimônio cultural é mais do que justa. Trata-se de uma manifestação secular que passa de geração para geração, emprega milhares de pessoas no Ceará e fomenta a economia nos municípios pequenos de todo o Nordeste. É uma vitória do povo Nordestino.”, diz Noronha.

Também tramitam no Senado, além dessa proposta, outros três projetos de lei com o mesmo intuito, sendo um deles uma proposta de emenda à Constituição (PEC). Os parlamentares alegam que a vaquejada faz parte da cultura nacional e também argumentam que é totalmente possível manter a prática sem o sofrimento animal.

Fonte: O Povo - Blog Eliomar de Lima