Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Criminoso é morto após tentar assaltar policial civil em joalheria; veja o vídeo


Na tarde desta última quarta-feira (23) um criminoso foi morto a tiros por um policial civil após tentar assaltar uma joalheira localizada na rua Coronel José Monteiro no centro de São José dos Campos (89 km de São Paulo). Segundo informações, dois bandidos armados teriam entrado na joalheria minutos antes do policial chegar com sua esposa. De acordo com as imagens da câmera de segurança do circuito interno do estabelecimento (veja vídeo abaixo divulgado pela Polícia Civil), quando o casal chega e se aproxima da entrada da joalheria, um dos criminosos sai e aguarda seu comparsa. Em seguida o segundo marginal aparece nas imagens e tenta render o casal, mas o policial rapidamente saca sua arma e efetua alguns disparos contra o assaltante que não resiste aos ferimentos e acaba morrendo no local. O outro bandido conseguiu fugir tomando rumo até então ignorado. O policial que não estava de serviço e sua mulher não ficaram feridos durante a ação. O criminoso morto tinha 29 anos, possuía uma condenação pelo crime de roubo e estava foragido. O caso foi registrado na delegacia de Polícia Civil de São José dos Campos que trabalha na tentativa de localizar o marginal que fugiu.


Repórter Cidades / Plantão Policial Jerry Mesquita

Brasil mantém emergência nacional em saúde pública por causa da zika



Ministro da Saúde, Ricardo Barros afirmou nesta sexta que as consequências da malformação pelo vírus são muito graves e é preciso continuar vigilância.
Apesar de já ter passado um ano após a declaração de emergência nacional em saúde pública por conta do aumento de casos de microcefalia associados ao zika vírus, o governo brasileiro decidiu manter a situação no País. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou nesta sexta-feira (18) que as consequências da malformação são muito graves.

“O Brasil está acumulando conhecimento muito amplo sobre o zika vírus, por meio de inúmeras pesquisas que estamos financiando. E nós entendemos que, como somos o país com maior incidência, devemos manter ampla vigilância para dar segurança à população.”

Além de anunciar novas medidas em relação ao acompanhamento dos casos de gestantes com a infecção, o ministro pediu que a população ajude no combate ao Aedes aegypti, principalmente agora no verão.

“É preciso que cada cidadão assuma sua responsabilidade e ajude a combater os focos do mosquito. É assim que podemos ter um melhor resultado para a toda a sociedade brasileira”.

Fim da emergência mundial

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou durante coletiva na tarde desta sexta, em Genebra, na Suíça, que o vírus e seus transtornos neurológicos não são mais uma emergência sanitária internacional. Ainda assim, as medidas de combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor não só da zika como também da dengue, chikungunya e outras doenças, devem continuar.

A OMS recomenda que os países que enfrentam a epidemia de zika tenham outros métodos de detecção de consequências neurológicas do vírus, além da medição da cabeça dos recém-nascidos, medida já adotada pelo Brasil e que pode levar ao diagnóstico de microcefalia.

“É apropriado o Brasil continuar a emergência, porém, uma emergência pública internacional tem uma conotação diferente, nesse caso a declaração é feita para o que o mundo identifique e trabalhe em conjunto questões de importância internacional. Agora, outro país pode dizer que é uma emergência, se eles precisam de mais fontes, de mais pesquisas”, disse o coordenador da organização, David Heymann.

*Com informações da Agência Brasil

Tasso, Eunício e Ministro anunciam R$ 40 milhões para obras hídricas em Fortaleza e Região Metropolitana; assista



Fortaleza e Região Metropolitana correm risco de ficarem sem abastecimento.

Reunião dos dois senadores cearenses Eunício Oliveira e Tasso Jereissati com o ministro Helder Barbalho na tarde desta quinta-feira (24), garantiu a liberação de 40 milhões para obras hídricas de modo evitar que Fortaleza e Região Metropolitana entrem em colapso por falta de água. 
O Ministro Helder Barbalho anunciou que a determinação é do Presidente Michel Temer, atendendo articulação de Tasso e Eunício, em resposta a solicitação do governador Camilo Santana. O recurso será viabilizado diretamente para a Defesa Civil do Estado.

Via Cearanews7