Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

DERRAMAMENTO DE SANGUE NO CEARÁ: FIM DE SEMANA VIOLENTO DEIXA 31 MORTOS!


Somente em Fortaleza, 13 pessoas foram executadas. A Polícia registrou também seis mortes em acidentes no Interior.
Ao menos, 31 pessoas tiveram morte violenta durante o fim de semana em todo o Estado do Ceará. Contudo, a criminalidade fez mais vítimas na Capital, onde 13 pessoas foram assassinadas entre a tarde da última sexta-feira (18) e o começo da noite de domingo (20). Entre elas, está um policial rodoviário federal. O balanço, no entanto, é parcial.

Um triplo e um duplo homicídios foram registrados em Fortaleza durante o período. Ainda na sexta-feira, por volta de 16 horas, dois homens foram executados, a tiros, no bairro Quintino Cunha. No sábado, um tiroteio deixou três mortos e dois feridos na Barra do Ceará. Na manhã de domingo, mais um homicídio ocorreu no mesmo bairro.

Em Fortaleza, os 13 homicídios ocorreram nos seguintes bairros: Barra do Ceará (quatro mortos), Quintino Cunha (dois mortos), Pici, Vila Velha, Sabiaguaba, Siqueira, Praia do Futuro, José Bonifácio e Ancuri.

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), dois homicídios foram registrados nos Municípios de Pacajus e Maracanaú.

Sertão

Dez pessoas foram assassinadas no Interior do Estado. Na região Norte, ocorreram crimes de morte nos Municípios de Nova Russas, Sobral e Itatira. No Interior Sul, foram sete homicídios em Crato (dois casos), Nova Jaguaribara, Araripe, Russas, Quixeramobim e Irapuan Pinheiro.

E, além dos 25 assassinatos, outras seis pessoas morreram em acidentes de trânsito nos seguintes Municípios: Tabuleiro do Norte (duas vítimas), Paraipaba, Tauá (dois casos) e em Fortaleza, no bairro Conjunto Ceará.

Policial

Entre as 13 pessoas assassinadas no fim de semana em Fortaleza está um policial rodoviário federal. Tratava-se de Paulo Rolney Vidal, 37 anos. Ele foi atacado por dois assaltantes em um restaurante situado na Rua Coronel Solon, no bairro de Fátima. O policial reagiu e houve troca de tiros. Mesmo ferido, Rolney ainda conseguiu acertar tiros nos ladrões. A dupla fugiu, mas foi presa pela PM na Avenida Dom Manuel esquina com a Rua Pinto Madeira.

O policial rodoviário foi encaminhado ao Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro), onde foi encaminhado à Sala de Ressuscitação, mas não resistiu, falecendo pouco tempo depois. No mesmo hospital deu entrada um dos assaltantes baleado. O outro foi encaminhado ao 34º DP (Centro) e autuado em flagrante por crime de latrocínio (roubo seguido de morte). 

Fonte: Blog do Fernando Ribeiro
Foto ilustrativa

Vídeo mostra depoimento de Elize Matsunaga à polícia em 2012



Um vídeo exibido no Fantástico na noite deste domingo mostra o depoimento de Elize Matsunaga à polícia, em 5 de junho de 2012, quando ela confessou ter matado o marido, Marcos Matsunaga. No vídeo, ela dá detalhes sobre o relacionamento com Matsunaga, que ela havia matado dezessete dias antes. O vídeo também mostra a reconstituição do crime. Elize, que está na Penitenciária de Tremembé, vai a júri popular no dia 28 de novembro.


No depoimento, ela conta que o casamento com Matsunaga começou a desabar quando ela descobriu que ele a traía. “Ele me ofendia, falava que eu era uma v*. Falava que meu pai era um vagabundo”, disse. Os dois se conheceram em 2004, quando ele estava casado com outra mulher e Elize trabalhava como garota de programa. De acordo com ela, Matsunaga já havia tentado matar sua primeira esposa, com quem ele tinha uma filha. O advogado dos pais de Marcos, Luiz Flávio D’Urso, afirma que a mulher estava tentando criar uma imagem ruim do marido ao fazer essas acusações.

Eles se casaram em 2009 e Elize descobriu que era traída em junho de 2010. No depoimento, ela disse que não se separou na época porque descobriu que estava grávida de Matsunaga, que pediu perdão e prometeu que não ia voltar a traí-la. Em maio de 2012, Elize contratou um detetive particular, que relatou a ela que seu marido estava com outra mulher. No dia 19 daquele mês, Elize atirou em Marcos e depois o esquartejou.

A defesa afirma que eles discutiram e Matsunaga deu um tapa no rosto de Elize, que reagiu, atirando no marido. Para a acusação, a mulher já tinha planejado o crime e atirou no momento em que Marcos entrou em casa, depois de ir buscar uma pizza que o casal tinha pedido.

Fonte: Msn Notícias