Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788

terça-feira, 15 de maio de 2018

Guarda municipal é morto no lugar de parente


Um guarda municipal, lotado na cidade cearense de São Gonçalo do Amarante, foi morto no bairro Itambé, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, nesta segunda-feira, 14. 

De acordo com o secretário da Segurança de São Gonçalo de Amarante, major Everton Farias, o alvo do crime seria um parente do guarda Luiz de França Duarte Filho, de 30 anos, no entanto o homem fugiu no momento do crime e o oficial acabou sendo morto.

Conforme major Everton, a vítima não tinha envolvimento com a ocorrência e foi morto no lugar de outra pessoa. "GM França não tinha envolvimento com crime ou atividades ilícitas", relatou. 

Conforme colegas de Luizinho, como era conhecido, era querido por todos no bairro Itambé. Ele era vice-presidente da associação de moradores do bairro.

Fonte: O Povo

Meninos de até 19 anos são vítimas de 170 assassinatos no Crajubar

Tragédia diária: mãe chora abraçada ao filho assassinado.

Nos últimos quatro anos, 170 adolescentes e jovens com idade entre 10 e 19 anos foram assassinados em Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Os dados fazem parte de uma pesquisa que, inicialmente, envolveu Fortaleza, Juazeiro e outras cinco cidades do Ceará. Uma saída apontada para a redução da violência entre jovens é a efetivação de políticas públicas que abra portas para as pessoas nesta faixa etária. A informação é do Ceará News.

O estudo organizado pelo Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência analisou sete cidades do Ceará. No Cariri, apenas Juazeiro do Norte foi incluído. A pesquisa apontou que metade dos jovens foi morta a cerca de 500 metros do local onde moravam. Outros dados verificados surpreendem. Mais de 70% dos adolescentes assassinados em 2015 estavam fora da escola há pelo menos seis meses. “Um enredo de exclusão que se repete com seus irmãos, primos e amigos”, segundo aponta o relatório do Comitê.

As armas de fogo têm importância fundamental nos homicídios de adolescentes. Em Horizonte, todos os crimes de morte contra jovens tiveram em comum o uso de arma de fogo. Esse percentual ultrapassa 80% em Juazeiro. Em particular, uma informação preocupa: em praticamente metade das cidades, nenhuma pessoa foi detida ou presa, o que, de acordo com o estudo, cria um contexto de impunidade e repetição de crimes. A pesquisa também apontou um perfil de vítimas: jovem, negro, pobre e morador da periferia.