Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Saiba como votou cada deputado sobre a medida que pune juízes


Parlamentares aprovaram nesta madrugada, por 313 votos a 132, a medida que responsabiliza juízes por abuso de autoridade

Em votação nominal, a emenda ao pacote anticorrupção foi aprovada na Câmarapor 313 votos a favor, 132 contrários e cinco abstenções.

Confira AQUI como votou cada um dos 513 deputados.

Diário Oficial da União traz lei que define Vaquejada e Rodeio como manifestações culturais



Saiu publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira a lei que reconhece a Vaquejada e o Rodeio – nº 13.364 como manifestação cultural e do patrimônio imaterial do País. Foi sancionada pelo presidente Michel Temer, que atendeu assim às entidades da área da vaquejada que temiam desemprego na área, e, em especial, na região Nordeste.

Com a sanção da lei, além da vaquejada passam também a ser considerados patrimônio cultural imaterial do Brasil o rodeio e as expressões culturais decorrentes dela – caso de montarias, provas de laço, apartação, bulldog, paleteadas, Team Penning e Work Penning, e provas como as de rédeas, dos Três Tambores e Queima do Alho.

Também se enquadram como patrimônio cultural imaterial os concursos de berrante, apresentações folclóricas e de músicas de raiz.

Fonte: O Povo

CONFIRA O ÁUDIO DRAMÁTICO DO PILOTO DA AVIANCA DO VOO DA CHAPE COM TORRE




Comandante de outro avião narra conversa da tripulação da Lamia com controladora sobre pane elétrica e falta de combustível. Aeronave pediu ajuda para achar a pista.
Um piloto de um avião que viajava próximo ao voo da Chapecoense relatou ter ouvido a conversa entre a tripulação da aeronave acidentada e a torre de controle do aeroporto de Medellín. O funcionário da Avianca narrou o diálogo (ouça o áudio), e a empresa confirmou a veracidade.

Inicialmente, segundo o piloto, a tripulação do voo da Lamia pediu prioridade de pouso do Aeroporto Rio Negro por conta de problemas de combustível. 

- Solicitamos prioridade para proceder, solicitamos prioridade para proceder ao localizador, temos problemas de combustível – teria dito o piloto da Lamia.

A controladora do aeroporto teria negado a permissão por conta de outro voo da VivaColômbia. Foi então que o comandante do voo da Chapecoense decretou emergência. Nas redes sociais, Maysa Brito, de férias na Colômbia, relatou que seu avião também teve problemas na Colômbia. 

- Temos um problema. Temos um avião aterrissando de emergência. Não pode proceder - respondeu a controladora. 

Enquanto a controladora, segundo o piloto da Avinca, indicou que seu voo pousasse na pista 1, a tripulação do voo da Chapecoense confirmou a pane elétrica e decretou situação de emergência

- Agora temos uma falha elétrica, temos uma total falha elétrica. Nos ajude a achar a pista, nos ajude a achar a pista.

Posteriormente a torre de controle perdeu o contato com o avião. A controladora ainda tentou por mais um tempo com o avião da Lamia, mas sem sucesso. 71 pessoas morreram no voo que levava a Chapecoense para o primeiro jogo da decisão da Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira, contra o Atlético Nacional, em Medellín. 6 sobreviveram.

Com informações do Globo Esporte