Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Bandidos atacam cidade de Tarrafas e explodem agência bancária na madrugada desta quinta-feira

Tarrafas
A explosão de artefatos nos caixas eletrônicos acabou afetando a estrutura geral do banco
Subiu para três o número de ataques a bancos com explosivos no Ceará em apenas 28 dias do mês de janeiro. Na madrugada desta quinta-feira (26) o alvo dos assaltantes foi a cidade de Tarrafas, na Região Centro-Sul do Ceará (a 451Km de Fortaleza).
Era  por volta de 1h30 quando os ladrões atacaram o posto de atendimento do Bradesco de Tarrafas e colocaram explosivos no caixa-eletrônico. A explosão despertou os moradores próximos e os bandidos fugiram rapidamente. A Polícia Militar foi acionada, mas até o momento não há informações sobre prisões de suspeitos.
Na última terça-feira, ataque semelhante ocorreu no Município de Itaiçaba (a 160Km de Fortaleza), quando bandidos fortemente armados atiraram contra o Destacamento da PM e outra fração da quadrilha colocou explosivos na agência do Banco do Brasil. O equipamento e parte do prédio foram destruídos.
O primeiro
Na madrugada do dia 10 de janeiro, uma quadrilha armada com fuzis, pistolas e artefatos explosivos atacou a cidade de Milhã, no Sertão-Central (a 300Km de Fortaleza) e destruiu parte da agência do Banco do Brasil. Foi o primeiro assalto a banco de 2017 no Ceará.
Depois do roubo do dinheiro que havia nos equipamentos, os ladrões seguiram em fuga em direção ao Município de Solonópole e desapareceram, apesar de um cerco policial realizado pela Polícia Militar em toda a região.  //////blogdofernandoribeiro.com.br/

Trump assina ordem para construção de muro na fronteira dos EUA com o México


O presidente Donald Trump, acompanhado do vice Mike Pence, do secretário de Segurança Interna, John F Kelly, e outros, exibe ordem executiva sobre imigração e que ordena construção de muro na fronteira com o México, em Washington (Foto: Pablo Martinez Monsivais/AP)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta quarta-feira (25) uma ordem executiva para destinar fundos federais para a construção de um muro na fronteira com o México, informam as agências Reuters e AP e a rede CNN. A construção do muro foi uma das principais promessas de campanha do republicano.

Trump também assinou uma ordem executiva para bloquear fundos federais para as chamadas "cidades-santuário", que protegem imigrantes sem documentos da deportação.

Os fundos federais serão abolidos para cidades que se recusem a fornecer informações às autoridades federais sobre o status de imigração de pessoas detidas nesssas localidades, entre as quais estão Chicago, Nova York e Los Angeles.

Em uma entrevista concedida à ABC News divulgada antes da assinatura da ordem nesta quarta, Trump disse que a construção do muro na fronteira com o México começará "assim que possível". Questionado se seria uma questão de "meses", o presidente disse: "eu diria em meses". Segundo o presidente, o planejamento da construção começa imediatamente.

Na entrevista, Trump também afirmou que a construção será financiada pelos contribuintes americanos, mas que "relativamente em breve" o país começará uma negociação de reembolso com o país vizinho.

"Seremos, de alguma forma, reembolsados pelo México, o que eu sempre disse", afirmou. "Seremos reembolsados em uma data posterior de qualquer transação que fizermos com o México", disse Trump.

Confrontado com a afirmação do presidente Enrique Peña Nieto, de que o México não pagará pelo muro, Trump disse: "Ele tem que dizer isso. Mas estou te dizendo que haverá um pagamento. Será de uma forma, talvez uma forma complicada", disse. "O que estou fazendo é bom para os Estados Unidos. Também vai ser bom para o México. Queremos um México muito estável, muito sólido", acrescentou.

Visita do presidente mexicano

O documento foi assinado no dia em que o ministro das Relações Exteriores do México, Luis Videgaray, chega a Washington para preparar a visita do presidente do país, Enrique Peña Nieto. O mexicano deve se reunir com Trump no final do mês, sendo um dos primeiros líderes mundiais a se encontrar com o novo presidente americano.

Trump já havia antecipado em seu Twitter que assinaria a medida nesta quarta-feira. “Grande dia planejado na SEGURANÇA NACIONAL amanhã. Entre muitas outras coisas, vamos construir o muro!, escreveu.”
Promessa de campanha

Entre as principais promessas de Trump durante a campanha estavam construir um muro ao longo de toda a fronteira com o México - e fazer o país vizinho pagar a conta (o que autoridades mexicanas já afirmaram não aceitar) - e deportar todos os imigrantes ilegais que vivem nos EUA.

A fronteira entre EUA e México tem cerca de 3.000 quilômetros (a distância entre São Paulo e Natal), e já existe algum tipo de barreira em um terço de sua extensão. As demais áreas ficam em regiões desérticas ou montanhosas, de difícil acesso.

Estima-se que 11 milhões de imigrantes vivam irregularmente nos EUA, muitos dos quais ingressaram por terra e jamais entraram nos registros do governo. Para dar conta da missão, Trump pretende triplicar para 15 mil o número de agentes de deportação.

Trump também prometeu suspender a entrada de muçulmanos no país. Embora a criscriminação por religião seja proibida no país, o presidente americano pode vetar a concessão de vistos a nacionalidades específicas - algo que a legislação permite, segundo especialistas.
Fonte: G1