Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Várzea Alegre: Homem morre após cair de "escadaria" no Bairro Riachinho



No começo da noite desse último sábado, 22, por volta de 18h30, um homem morreu após cair de uma escadaria situada no Bairro Riachinho.

Segundo informações, Paulo Henrique, 32 anos, faleceu após ser empurrado acidentalmente por um homem até então desconhecido, de uma escadaria localizada na BR 230 que dá acesso a Rua Chiquinho Batista, Bairro Riachinho, próximo a Escola Municipal Teodoro Gomes Fiuza.

De início, a nossa reportagem foi informada por alguém mais próximo da família que após a queda e ter batido a cabeça no solo, o mesmo teria sofrido uma crise convulsiva. Mas, com o resultado do laudo nessa manhã de domingo, 23, a morte esteve relacionada a um traumatismo craniano. O laudo completo sairá nos próximos dias.

Paulo Henrique foi levado para Hospital ainda com vida, mas não resistiu e veio a óbito na Unidade de Saúde. O jovem é neto do então já falecido Chico da Coelce. Ele deixa uma mulher e duas filhas.

O acusado do "crime acidental" que estava acompanhado de mais um (fugiu) no momento do fato, foi encontrado pela PM no local e conduzido até a delegacia. Em sua defesa disse que tinha só dado um empurrão de leve, não sabia que ele ia cair por ser tão pequeno. O fato não foi motivado por uma "briga".


Fonte Várzea News

TRE estuda alternativas para a extinção de zonas eleitorais no Ceará


Desembargadora Nailde Pinheiro diz que há Estado que deve perder cerca de 40% das zonas eleitorais.

Depois da aprovação de proposta pelo Tribunal de Justiça do Ceará (TJ/CE), para extinção de algumas comarcas no interior do Ceará, eis que surge mais uma proposta que promete mexer com a vida dos eleitores cearenses.

Portaria assinada pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, em maio desse ano deve extinguir pelos menos 20 zonas eleitorais do Ceará. O objetivo do corte de zonas eleitorais em todo o País seria a necessidade de enxugar gastos.

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargadora Nailde Pinheiro confirma que o estudo está em andamento na Corte eleitoral, e defende que a diminuição no número de zonas eleitorais não trará qualquer comprometimento ao trabalho da Justiça eleitoral, embora concorde que haverá um distanciamento de zonas dos chamados municípios-sede no interior do Estado. Ela aponta que a Justiça Eleitoral já discute estratégias para que a distância física não signifique ausência da instituição nas localidades que serão afetadas.

A presidente da Corte diz que a mobilização em torno do estudo tem sido grande. O Tribunal tem dialogado com parlamentares, representantes dos magistrados e mesmo com juízes, já que, com a extinção de zonas, alguns perderão a função eleitoral e os ganhos financeiros que ela representa, além dos servidores que, diante da possibilidade de transferência de zonas, têm levados pleitos à presidência do TRE-CE.

Com o cumprimento da resolução, a desembargadora não espera algum retorno direto do TSE ao TRE-CE, mas acredita em ganhos à Justiça Eleitoral. "O TSE, quando repassou a resolução, não foi dizendo: 'se você diminuir tanto, terá um repasse de tanto'. Foi o ganho na instituição TSE, porque essa questão da limitação de gastos não é só da Justiça em si, é de todo o complexo, o País está vivendo essa questão, mas é o que eles dizem: quanto à eleição, nenhum prejuízo".

A extinção de zonas eleitorais tem sido alvos de questionamentos. Um dos fatores ponderados está no fato de que, por um eventual distanciamento da Justiça Eleitoral, poderia haver uma abertura maior para a prática de ilicitudes por políticos. O Estado tem, no total, 123 zonas, sendo 110 no interior e 13 na Capital.

O procurador regional eleitoral do Ceará, Marcelo Mesquita Monte, também fez análise crítica da portaria. Segundo ele, essa medida vai deixar o trabalho dos promotores eleitorais mais “sobrecarregado”. Os eleitores das zonas eleitorais extintas deverão ser redistribuídos para as mais próximas. O documento ainda estabelece que as zonas encerradas “poderão ser transformadas temporariamente em postos de atendimento” ao eleitor, até o fim de 2018.

Impactos

Fortaleza não será afetada e pode, inclusive, vir a receber mais zonas com a nova distribuição. No Interior, porém, o que vai acontecer é que algumas zonas irão abranger vários municípios pequenos, o que pode dificultar o trabalho dos promotores e juízes na organização e fiscalização de eleições, por exemplo.