Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

domingo, 23 de julho de 2017

'Achei que era um cachorro e resolvi olhar', diz mulher que achou gêmeas abandonadas no Paraná



"Achei que era um cachorro e resolvi olhar, quando eu vi, era um nenê", disse Tâmela Ribeiro, a moradora que encontrou duas meninas recém-nascidas abandonadas na tarde de sexta-feira (21), em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Os bebês foram internados no Hospital Municipal Nossa Senhora da Luz dos Pinhais e passam bem. A Polícia Civil investiga o caso e tenta identificar quem abandonou os bebês.

De acordo com a equipe médica do hospital, as gêmeas nasceram com nove meses. Uma delas tem 2,75kg e a outra, 1,7kg. De acordo com o diretor técnico do hospital, Airton Surdi, as recém-nascidas foram encontradas ainda com o cordão umbilical, o que indica que o parto pode ter sido feito em casa.

A mulher que viu as recém-nascidas e acionou a polícia disse que estava de mudança, passando pelo local, quando encontrou o cobertor em que elas estavam.

Tâmela conta que vai se recordar do caso por toda a vida. "A gente que tem filho sabe como é doloroso. Não tem explicação, vai ficar marcado para o resto da vida", comentou.

Depois de encontrar as meninas, a moradora entrou em contato com a Polícia Militar (PM), que acionou o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Conselho Tutelar. Assim que receberem alta, as gêmeas devem ser levadas para um abrigo.

De acordo com a conselheira tutelar Ângela de Araújo, as recém-nascidas receberam nomes pela equipe do hospital. "Eloá, que significa Deus, e Heloísa, que é a mulher guerreira", comentou.

Presidente da Indonésia manda polícia matar traficantes que resistam à prisão

Mandatário pede a oficiais que sejam mais duros com os que resistem à prisão.
O presidente da Indonésia, Joko Widodo, instruiu os policiais do país a serem mais duros com os traficantes, especialmente os estrangeiros, e deu aval para que os matem se for necessário. “Eu disse, sejam firmes, principalmente com os traficantes estrangeiros que entram no país e resistem à prisão. Atirem para matar. Não tenham piedade”, disse o mandatário em um discurso em Jacarta, segundo o jornal The Jakarta Post.

A fala vem para reforçar o pensamento do chefe nacional da polícia do país, o general Tito Karnavian. Segundo ele, os traficantes acreditam que a Indonésia é uma porta fácil de acesso à região do sudeste asiático, já que Singapura, Filipinas e Malásia possuem leis severas para o crime. “A polícia vai ser firme, especialmente contra estrangeiros”, ressaltou também o general. “Se alguém resistir, então atire.”

O país, contudo, é bem conhecido por sua guerra às drogas. Em 2015, os brasileiros Rodrigo Gularte, 42 anos, e Marco Archer, 53, foram executados por fuzilamento na Indonésia por tráfico internacional de drogas.

Via Veja