Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Polícia apreende uma tonelada de maconha no interior do Maranhão

Maconha apreendida no Maranhão  (Crédito: Polícia Civil )
Maconha apreendida no Maranhão

A Delegacia de Santa Luzia e 7ª Delegacia Regional do município de Santa Inês, no estado do Maranhão, realizaram a apreensão de uma tonelada de maconha. O entorpecente, uma tonelada e 500 Kg de maconha, foi localizada na zona rural de Santa Luzia.
De acordo com a Polícia Civil, a maconha era plantada no Povoado Faísa, em Santa Luzia, onde também era comercializado. No local os policiais encontraram 82 sacos de 15 kg contendo a substância entorpecente, sendo que 52 foram apreendidos e 30 foram incinerados.
Segundo as investigações, os supostos proprietários da droga, ainda não identificados, não foram presos em flagrante porque se evadiram do local. As investigações seguem em andamento.

Suspeito de assassinatos mostrava fotos dos cadáveres na internet

Suspeito de participar de cinco assassinatos, empresário foi detido na última quarta-feira (8) no município de Campo Novo do Parecis, no interior do Mato Grosso. José Elgy Alves Silva, de 31 anos, seria membro de uma facção criminosa e se vangloriava dos crimes posando com cadáveres em fotos publicadas nas redes sociais.
Segundo a polícia, o dono de uma borracharia e de uma boate confessou friamente os crimes e não mostrou arrependimento.
No depoimento, ele afirmou ainda que as vítimas imploravam pela vida antes de serem mortas.
O suspeito se engrandecia pelas mortes e compartilhava fotos dos cadáveres em grupos de redes sociais. As vítimas, de acordo com a polícia, foram mortas por ele.
À polícia, ele negou que faça parte de facções. As investigações, iniciadas após um vídeo de uma execução começar a circular na internet, apontam que ele é responsável pela aplicação de penalidades, dentro da hierarquia do grupo.
Nesta quinta feira (10), a polícia recolheu os restos mortais das vítimas numa área rural do município.