Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788

domingo, 6 de maio de 2018

Delegado da Polícia Federal é morto após ter casa invadida

Um delegado da Polícia Federal (PF) foi assassinato após ter a casa invadida por bandidos na noite desse último sábado (5), no município de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís (MA), no fim da festa da filha, de 5 anos.

Em nota, a Polícia Federal informou que Davi Farias de Aragão, de 36 anos, era casado e tinha duas filhas. Atualmente, ele comandava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários no estado.

"O estimado colega era natural desta capital, tinha 36 anos, era casado e tinha duas filhas. Ingressou na Polícia Federal há mais de doze anos, com atuação exemplar e comportamento louvável, coordenou várias operações policiais e contribuiu intensamente em ações de combate ao crime. Atualmente chefiava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários", diz nota assinada pela superitendente da PF no Maranhão, Cassandra Ferreira Alves Parazi.

Segundo o G1, com informações do delegado Jefrey Furtado, plantonista na Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), os assaltantes invadiram a casa de Aragão por volta das 23h, por meio de uma residência vizinha.

Três bandidos chegaram a pé até o local e pularam o muro. Eles perceberam que tinha pessoas na casa quando um entregador chegou para deixar uma pizza.

Os homens foram identificados como Davi Costa Martins, um como apenas Leandro e Wanderson de Morais Baldez. O terceiro foi detido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Luizão, quando procurou por socorro por ter sido ferido em um dos braços por tiros.

De acordo com a polícia, houve luta corporal entre os três bandidos e o delegado, disparos de arma de fogo, facadas e mordidas.

A Polícia Civil informou ainda que Wanderson de Morais Baldez deveria estar sendo monitorado por tornozeleira eletrônica.