Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

No Ceará, Previsão indica chuvas fortes nos próximos dias



O Ceará deve registrar, nos próximos dias, chuvas frequentes em várias partes de seu território. A previsão é do Instituto de Meteorologia Climatempo. Segundo dados da empresa, a expectativa é que o Estado seja afetado por uma mudança na circulação de ventos na região Nordeste que trará um forte fluxo de umidade para os municípios, favorecendo a ocorrência de precipitações. Em algumas cidades, o volume acumulado de chuvas pode chegar a 100mm.

Segundo Josélia Pegorim, meteorologista do Climatempo, as precipitações poderão ser observadas a partir desta sexta-feira (10) e devem persistir durante o fim de semana até, pelo menos, a metade da próxima semana.

"Se olharmos os satélite hoje, vemos nuvens muito carregadas no Maranhão e no Piauí, mas a região de Salvador até o Interior do Ceará está seca. Pela previsão, se espera que ocorra uma mudança na circulação dos ventos em diversos níveis da atmosfera, o que vai permitir uma melhor distribuição dessa umidade sobre o Nordeste", explica a meteorologista. "Esse aumento da umidade e a persistência desse ar mais úmido por vários dias vão permitir a maior formação de nuvens carregadas com potencial para provocar chuvas fortes", acrescenta Josélia.

Outro fator que, conforme o instituto, sustenta a previsão é a permanência, nos próximos dias, da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) em torno da costa norte da região Nordeste. A ZCIT é o sistema meteorológico que atua sobre a área e que indica a possibilidade de ocorrência de chuvas.

Ao mesmo tempo, o Ceará, segundo a meteorologista, deve sentir os efeitos de um outro fenômeno climático chamado de oscilação de "Madden-Julian". "É uma oscilação atmosférica que aumenta ou diminui a as chuvas em várias áreas do globo. Essa onda pode ser forte ou fraca e ela ocorre em um período e 30 a 60 dias. No Ceará, para os próximos cinco dias, espera-se uma atuação positiva", afirma.

Josélia Pegorim observa que, com a junção desses fatores, várias regiões do Ceará, inclusive no Interior, podem acumular chuvas de mais de 100 mm. No entanto, ela destaca que, embora significativo, o volume de precipitações não será suficiente para normalizar o nível dos reservatórios. "Sem dúvida, vai haver uma mudança, umedecendo o solo e diminuindo calor. Mas estamos falando de cinco períodos chuvosos ruins. Não será suficiente para reverter o quadro de seca no Estado", diz.



Fonte Diário do Nordeste

Putin sanciona lei que permite bater na mulher uma vez por ano na Rússia



Vladimir Putin sancionou a lei que assegura aos maridos russos o direito de bater em suas mulheres e filhos uma vez por ano, com penas atenuadas. As penas mais graves, que eram aplicadas a toda agressão doméstica, agora só servirão para quem provocar fraturas em ossos, ou para quem agredir duas vezes em período inferior a 12 meses. Quem só causar sangramento sem fratura, por exemplo, no máximo paga uma multa ou, no máximo, uma pena de 15 dias de prisão.

A nova lei passou pelas duas casas do Congresso russo e causou imensa discussão: ativistas de direitos humanos reagiram de forma contundente contra a mudança na lei. É relevante ressaltar que a Rússia já registra uma morte de mulher por agressão doméstica a cada 40 minutos.

O principal argumento dos defensores da mudança da lei é que a restrição maior à violência doméstica tornava mais grave para um pai bater nos seus filhos (ou na esposa) do que para o vizinho, caso agredisse as mesmas pessoas. Evidente que a situação é de fato mais grave, já que a mulher e os filhos ficam expostos diariamente ao agressor quando ele reside na mesma casa.

Além disso, membros da Igreja Ortodoxa se posicionaram a favor da mudança, já que se for praticada “dentro do razoável” a violência contra a mulher “faz parte da tradição russa” e que eliminá-la seria atender a uma “pressão do Ocidente”. “Tem coisas acontecendo na Europa do Norte que nem Hitler teria sonhado”, disse o chefe da comissão de assuntos familiares do Patriarcado Ortodoxo Russo, padre Dmitry Smirnov, ao The Guardian.

O jornal inglês acrescentou que todo tipo de opinião bizarra correu pelo país durante a discussão da lei. Um tabloide sensacionalista chegou a dizer que as mulheres que apanham deveriam ficar orgulhosas pois “estudos científicos” mostram que elas teriam maiores chances de dar à luz bebês do sexo masculino.

A lei foi considerada por alguns analistas internacionais como "absurda" e "aberração na contramão da civilização" e gerou repúdio de feministas em diversos países. Feministas lembraram da Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, proposta na França há mais de 200 anos.

Declaração dos Direitos da Mulher 

Em setembro de 1791, Olympe de Gouges propôs à Assembléia Nacional da França, durante a Revolução Francesa (1789-1799), a Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã. Marie (1748-1793) era filha de um açougueiro do Sul da França, e adotou o nome de Olympe de Gouges para assinar seus panfletos e petições em uma grande variedade de frentes de luta, incluindo a escravidão, em que lutou para sua extirpação. Batalhadora, em 1791 ela propôs uma Declaração de Direitos da Mulher e da Cidadã para igualar-se à outra do homem, aprovada pela Assembléia Nacional. Ela se opunha abertamente a Robespierre e acabou por ser guilhotinada em 1793, condenada como contra revolucionária e denunciada como uma mulher "desnaturada". 

Preâmbulo
"Mães, filhas, irmãs, mulheres representantes da nação reivindicam constituir-se em uma assembléia nacional. Considerando que a ignorância, o menosprezo e a ofensa aos direitos da mulher são as únicas causas das desgraças públicas e da corrupção no governo, resolvem expor em uma declaração solene, os direitos naturais, inalienáveis e sagrados da mulher. 

Assim, que esta declaração possa lembrar sempre, a todos os membros do corpo social seus direitos e seus deveres; que, para gozar de confiança, ao ser comparado com o fim de toda e qualquer instituição política, os atos de poder de homens e de mulheres devem ser inteiramente respeitados; e, que, para serem fundamentadas, doravante, em princípios simples e incontestáveis, as reivindicações das cidadãs devem sempre respeitar a constituição, os bons costumes e o bem estar geral.

Conclusão
"Mulher, desperta. A força da razão se faz escutar em todo o Universo. Reconhece teus direitos. O poderoso império da natureza não está mais envolto de preconceitos, de fanatismos, de superstições e de mentiras. A bandeira da verdade dissipou todas as nuvens da ignorância e da usurpação. O homem escravo multiplicou suas forças e teve necessidade de recorrer às tuas, para romper os seus ferros. Tornando-se livre, tornou-se injusto em relação à sua companheira."

Com informações do The Guardian