Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

REGIÃO DOS INHAMUNS Quadrilha armada ataca a cidade de Saboeiro e destrói com explosivos a agência do Banco do Brasil

Objetivo do grupo era roubar o cofre da agência, diz a PM. ( FOTO: VC Repórter )

 
Um grupo de cerca de 10 homens explodiu uma agência do Banco do Brasil na cidade de Saboeiro, localizada a 430 quilômetros de Fortaleza, na madrugada desta sexta-feira (17). O imóvel ficou completamente destruído.

De acordo com informações do Comando de Policiamento do Interior (CPI), o bando dividiu-se em dois. Enquanto parte deles estava no banco, outro ficou próximo ao destacamento da Polícia Militar evitando que militares interferissem contra o crime.

O objetivo do bando, segundo CPI, era roubar o cofre da agência. Para cometer o crime, os suspeitos utilizaram explosivos, que deixaram a agência totalmente destruída. No mesmo momento em que o imóvel era atacado, os outros criminosos que estavam em campana próximo ao destacamento atiraram contra o prédio da PM.

A polícia ainda não sabe precisar quanto ou o que o grupo levou do banco. Conforme o Comando, o fato da agência ter desabado poderá atrapalhar as investigações.

Após o crime, os suspeitos fugiram em dois carros e 4 motos. Até esta manhã, nenhum dos envolvidos havia sido identificado.

16º ataque

O ataque contra a agência de de Saboeiro foi o 16º em 2017. O último crime aconteceu no dia 14 deste mês, na cidade de Redenção. Naquela ocasião, bandidos invadiram, durante a madrugada, uma agência bancária do Bradesco e tentaram arrombar o cofre, mas não conseguiram. Acabaram fugindo sem levar o dinheiro.




Fonte Diário do Nordeste

Torcidas organizadas de Vitória e Vasco protagonizam briga em Cajazeiras



Confusão aconteceu antes de jogo de basquete| Foto: Reprodução/ TV Bahia Tiro, porrada e bomba. Esse foi o tom das cenas vistas na noite desta quinta-feira (16), no Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras, em Salvador, antes do duelo entre Vitória e Vasco, pelo Novo Basquete Brasil. Membros de torcidas organizadas dos dois clubes transformaram a praça esportiva em um palco de selvageria e protagonizaram cenas de pugilato, regados a tapas, pedras e pontapés. Para conter o conflito, a Polícia Militar utilizou bomba de efeito moral e disparou tiros para o alto. De acordo com a PM, ninguém ficou ferido e nenhum envolvido no tumulto foi preso. Dentro de quadra, o Vitória venceu o Vasco por 73 a 64. Foto: Reprodução/ TV Bahia

Presidente do Senado cumpre decisão do STF para Câmara reanalisar pacote ‘Dez Medidas’


Foto: Agência Senado O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), cumpriu nesta quinta-feira (16), a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de fazer retornar para Câmara dos Deputados a proposta conhecida como Dez Medidas de Combate à Corrupção. A decisão, do ministro Luiz Fux, de 14 de dezembro de 2016, determinava o retorno do projeto para Câmara para recomeçar do zero, por ter sofrido diversas mudanças que desvirtuavam sua intenção original. O texto altera o Código de Processo Penal (CPP). Segundo Fux, a Câmara desrespeitou o próprio regimento interno na votação do Projeto de Lei 4.850/2016. O texto, por exemplo, foi identificado com o nome de deputados, como de praxe, não como proposição de autoria popular, com 2,2 milhões de assinaturas em apoio a proposta. O texto foi elaborado pelo Ministério Público Federal (MPF) e prevê o uso de provas ilícitas em ações penais, restrição ao uso de Habeas Corpus e mudanças nos prazos prescricionais de certos crimes. Com a liminar de Fux, isso tudo deve voltar à norma. Além disso, deverá sair do texto a parte inserida durante sua tramitação que prevê a responsabilização de juízes e membros do MP por abuso de autoridade. O pedido no STF foi apresentado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), questionando a emenda sobre abuso de autoridade.