Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

CRUELDADE HUMANA: Padrasto mata bebê de apenas 10 meses após se irritar com choro da criança



Na manhã deste último sábado (25) um bebê de apenas 10 meses foi morto após ser asfixiado pelo próprio padrasto na cidade de Braço do Norte (171 km de Florianópolis). De acordo com a Polícia Civil, o acusado de 21 anos confessou o crime e disse que matou a Mariah Giustina Gonçalves porque se irritou com o choro dela. O assassino foi preso por homicídio qualificado na manhã deste último domingo (26) e encaminhado ao Presídio Regional de Tubarão onde permanece à disposição da Justiça. Segundo informações, o crime ocorreu enquanto o padrasto cuidava da criança em casa no bairro Lado da União. A mãe do bebê estava trabalhando em um salão de beleza. “Ele relatou que não tinha conseguido dormir durante algumas noites por conta do choro da criança, e que estava muito estressado com a situação. Num momento de fúria ele confessou que asfixiou a criança. Quando deu conta do que fez, tentou reanimar o bebê, mas já era tarde”, disse o delegado da Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Tubarão, William Cesar Sales. O acusado tinha informado inicialmente no Hospital Santa Teresinha que a criança havia se engasgado após ingerir iogurte, mas a suspeita foi descartada após exames do Instituto Médico Legal (IML). O sepultamento de Mariah ocorreu no Cemitério Municipal da Capital do Vale.

Repórter Cidades/Plantão Policial Jerry Mesquita

VOCÊ É A FAVOR DO FIM DO IPVA?



Donos de carros começaram a pagar o odiado imposto sobre a propriedade de veículos automotores, o IPVA.
Esse é o momento de colocar a mão do bolso e devolver ao governo por aquilo que ele não fez. Para variar, recomeça a discussão: se carro não é um patrimônio, mas apenas um bem de consumo – como o pão, o smartphone ou sua jaqueta jeans -, por que o Estado nos cobra um imposto sobre propriedade, e ainda mais anualmente?


Assine a Petição contra o IPVA

O site Avaaz (https://goo.gl/oy6NoP) vem, há algum tempo, independentemente das questões legais, debatendo o assunto. E pede o fim da tungada financeira a partir de vários argumentos (veja abaixo). Até esta sexta-feira, 222 mil pessoas já haviam assinado a petição on-line.

Nem é preciso lembrar que temos um pacote de tributos (taxas e impostos) difícil de carregar ano a ano. A própria Receita Federal estima que a tal carga tributária brasileira seja de 1/3 do PIB (a soma de todas as riquezas que produzimos). Em 2015, para ser mais direto, subiu para 32,66% (uns R$ 2 trilhões, mais ou menos).

Pois, bem: e os serviços prestados pelo Estado? As estradas estão sendo privatizadas (cobrando-nos pedágio) e ai de quem cair num buraco, pois ninguém assume facilmente essas responsabilidades.

Os proponentes da petição no Avaaz (conhecida rede global de ativistas) lembram, também, que o preço dos automóveis embute em média 49% de tributos entre o IPI, ICMS, IPVA, PIS, Licenciamento e por aí vai.

E mais: quem compra um carro paga ainda outros tributos, como o cobrado no combustível ou nas peças.

Há questionamentos, ainda, sobre o que pode ser tributado. No caso, renda, patrimônio ou consumo. Os carros, por sua vez, já são também tributados com ICMS e com IPI – afinal, são são bens de consumo (mercadorias, no caso do ICMS; produtos industrializados, com IPI).

Via Folhalivre