Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Acionista da Oi diz que fundos abutres querem acabar com a operadora


A Oi, maior concessionária do país, tenta renegociar dívida de R$ 64,5 bilhões (Foto: Reprodução/Notícias ao Minuto)


O empresário Nelson Tanure, de 65 anos, um dos maiores acionistas da Oi, está preocupado com a ameaça de intervenção do governo na operadora.

Para Tanure, a medida acaba beneficiando os investidores "abutres", que, segundo ele, querem destruir a empresa.

"O caso da Oi é a [Operação] Carne Fraca das telecomunicações. Tentam propagar informações falsas para tentar enganar o governo e fazer a população acreditar que a Oi não tem recuperação, que não conseguirá honrar com seus compromissos de pagamento", afirma.

A Oi, maior concessionária do país, tenta renegociar dívida de R$ 64,5 bilhões.

Segundo informações da Folha de S.Paulo, o governo ameaça com a intervenção porque, decretada a falência, o juiz terá liberdade para decidir o que fazer: vender a empresa inteira ou em pedaços, por exemplo.
Noticiasaominuto

CNI/Ibope - Nordeste lidera reprovação ao governo Temer

Resultado de imagem para michel temer
Segundo pesquisa Ibope, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 67% dos nordestinos reprovam o Governo Temer. A região lidera esse quesito. No país, somente 10% dos entrevistados avaliam o governo como ótimo ou bom, 31% como regular, 55% como ruim ou péssimo e 4% não sabem ou não responderam.
No Sudeste, a reprovação ao governo foi de 52% de respostas ruim/péssimo; nas regiões Norte e Centro-Oeste (agrupadas na pesquisa) foi de 49% e na região Sul, 48%. O índice de reprovação teve um aumento de 10 pontos nas regiões Nordeste e Norte/Centro Oeste, 8 pontos no Sul e 6 pontos no Sudeste, em relação a última pesquisa, de dezembro.
Em dezembro de 2016, 13% consideravam ótimo ou bom, 35% regular, 46% ruim ou péssimo e 6% não sabiam ou não responderam. A pesquisa foi encomendada ao Ibope.
Segundo a CNI, a queda na popularidade pode ser explicada pelo forte ajuste fiscal e as reformas propostas pelo governo federal.
O resultado desemprego continua a elevar e com essa taxa elevada de desemprego há uma insatisfação muito grande da população, e isso reflete de forma muito forte na avaliação do governo.
A pesquisa da CNI-Ibope ouviu 2.000 pessoas em 126 municípios, entre 16 e 19 de março.