Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788

domingo, 29 de julho de 2018

Sintomas respiratórios persistentes podem indicar câncer de pulmão

Sintomas como falta de ar, dor para respirar e emagrecimento, associados a tosse persistente, podem significar algo mais sério do que uma simples gripe. Segundo Dr. Carlos Henrique Teixeira, médico oncologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, é possível que os sintomas sejam indicativos do câncer de pulmão.

Um dos tumores mais incidentes no mundo, com cerca de um milhão de casos novos por ano, a doença é a principal causa de morte entre todos os tipos de câncer, sendo responsável por 19,4% de todos os óbitos de câncer no mundo. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), para 2018 estão previstos no Brasil 31.270 novos casos de câncer de pulmão, sendo 18.740 em homens, e 12.530 em mulheres.

"Como os sintomas são, na maioria das vezes, respiratórios, eles podem ser confundidos com quadros mais leves e mascararem a doença, fazendo com que o diagnóstico do câncer de pulmão aconteça em estágios avançados", alerta o especialista.

Outro fator que contribui para o diagnóstico tardio é o aparecimento dos sintomas somente em estágios mais avançados. Além disso, existem mais de 10 subtipos do câncer de pulmão. Entre 80 e 92% são do tipo não-pequenas células (CPNPC), dos quais 43,3% são identificados como adenocarcinoma.

Subtipos

"Identificar corretamente o subtipo da neoplasia é primordial para definir o tratamento mais apropriado e resultados mais eficazes", enfatiza o Dr. Carlos. Por exemplo, entre 22 e 33% dos casos de adenocarcinoma ocorrem em razão de mutações no receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) – subtipo que é mais incidente em não fumantes.

Apesar da letalidade do câncer de pulmão, os tratamentos contra esse tipo de tumor evoluíram na última década. A terapia alvo, uma das principais inovações, atua com maior precisão, geralmente em células do tumor que possuem mutações. O afatinibe, por exemplo, indicado como primeira linha de tratamento para pacientes adultos com câncer de pulmão de não-pequenas células (CPNPC), com histologia de adenocarcinoma e mutações de EGFR, faz parte desta lista de medicamentos de última geração.

"A variedade dos subtipos da doença torna os exames para a identificação exata de cada subtipo essenciais para a escolha do melhor tratamento, como no caso das mutações do EGFR", defende o oncologista. Mas vale ressaltar que geralmente os primeiros exames utilizados para constatar a presença do tumor são os exames de imagem, como a radiografia e a tomografia de tórax.

Além do subtipo adenocarcinoma, há duas outras formas de câncer de pulmão não-pequenas células (CPNPC): grandes células (menos comum, afetando pouco mais de 4% dos pacientes com CPNPC) e o escamoso (aproximadamente 1/4 dos casos de CPNPC).

Causas

Apesar do tabagismo ser a principal causa do câncer de pulmão, a neoplasia também acomete não fumantes e fumantes passivos. O adenocarcinoma com mutações no receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR), por exemplo, é mais incidente em não fumantes.

Dentre as demais causas envolvidas no câncer de pulmão, além do fator genético, estão a inalação de alguns agentes químicos tóxicos e a poluição. Com informações do Diário do Nordeste.

Fortaleza vive nova noite de terror com ônibus incendiados e ataques a prédios públicos




Pelo menos oito ônibus foram incendiados e dois sofreram tentativa de incêndio em Fortaleza e um deles em Horizonte. Cinco prédios públicos também foram atacados. Em novo episódio de ataques a ônibus e a prédios públicos em Fortaleza e na Região Metropolitana, pelo menos oito ônibus foram incendiados e dois sofreram tentativa de incêndio, três prédios públicos foram alvejados com tiros e outros dois foram alvos de coquetel molotov. Não houve vítimas em nenhuma das ocorrências. Os terminais de ônibus de Fortaleza foram fechados durante o fim de noite por causa dos ataques aos coletivos. Os casos ocorrem em período no qual a Capital sedia grandes eventos, como o Fortal e o festival Halleluya, que demandam operação diferenciada das forças de segurança. Os incêndios ocorreram nos bairros Sapiranga (3), Bom Jardim (1), Itaperi (1), Bela Vista (1) e Jacarecanga (1). O oitavo incêndio foi na Região Metropolitana, em Horizonte. As tentativas foram na Sapiranga e no bairro Álvaro Weyne. Os prédios públicos atacadas a tiros foram a agência dos Correios e a Caixa Econômica da avenida Francisco Sá; o Detran da Avenida Bezerra de Menezes e o 27° DP, no bairro João XXIII. Os coquetéis molotov foram arremessados contra o prédio da Secretaria da Segurança Cidadã da Prefeitura de Fortaleza e na Regional IV, no bairro Serrinha. Ônibus em circulação O Sindiônibus informa que a operação dos transportes públicos em Fortaleza está funcionando com toda a frota, com exceção das linhas entre os oito coletivos incendiados. Segundo o Sindiônibus, as linhas não estão operando temporariamente para “preservar a integridade de trabalhadores e usuários do transporte”. A instituição, juntamente com a Secretaria da Segurança Pública estão trabalhando para restabelecer a normalidade do serviço. Ataques Secretaria da Segurança Cidadã O prédio que abriga a Secretaria da Segurança Cidadã, localizado na Avenida dos Expedicionários, no bairro Vila União, foi atacado durante a noite da sexta-feira. Os tiros ficaram espalhados pela fachada do local e, segundo agentes de segurança da Guarda Municipal, ninguém ficou ferido. A equipe de reportagem do programa Barra Pesada/TV Jangadeiro chegou ao local pouco depois os ataques e colheu informações de que os responsáveis teriam chegado ao local utilizando duas motocicletas. Ônibus Os ataques a ônibus do transporte coletivo durante a noite de sexta-feira foram registrados na Avenida Bernardo Manuel,no bairro Itaperi, na Rua dos Estados, no bairro Bela Vista, e na Avenida Urucutuba, Bom Jardim. Nos três locais, a informação dos responsáveis pelos veículos atacados é que todos os profissionais e passageiros do coletivo foram obrigados a descer antes de os bandidos atearem fogo. No Bom Jardim, os criminosos estavam em um grupo de 15 pessoas. As chamas foram debeladas pelo corpo de bombeiros. Terminais fechados Os terminais de ônibus de Fortaleza foram fechados durante o fim de noite por causa da onda de ataques a coletivos em bairros da cidade. Nos terminais da Parangaba e do Siqueira, muitas pessoas foram prejudicadas no retorno para casa diante da informação de que os ônibus não sairiam das plataformas. Delegacia O prédio do 27º Distrito Policial, no bairro João XXIII, foi atacado por criminosos. Cerca de 12 tiros foram disparados na fachada por um grupo de pessoas que utilizavam carros. Segundo o inspetor de polícia que estava de plantão no local, o prédio tem câmeras de segurança, mas que mostram apenas imagens externas ao vivo e não gravam os registros. 

Tribuna do Ceará