Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

domingo, 21 de agosto de 2016

Brasil vence Itália e conquista terceiro ouro olímpico no vôlei masculino

O Brasil venceu hoje, por 3 sets a 0, a Itália e conquistou a terceira medalha de ouro olímpica no vôlei de quadra masculino.
A Itália abriu o jogo da final com um desempenho melhor mas, em pouco tempo, ainda no final do primeiro set, o Brasil chegou finalmente ao jogo e tomou a liderança. Apesar de se manter na frente, a seleção brasileira enfrentou uma forte pressão dos adversários que levou todos os sets a serem concluídos em um verdadeiro revezamento de vantagem, ponto a ponto no placar. O equilíbrio do jogo ficou ainda mais evidente no terceiro set, quando a vantagem passou de uma equipe a outra desde os primeiros instantes levando o set a longos x minutos.

Os italianos chegaram na decisão invictos, mas buscavam primeiro ouro olímpico. Os Italianos já tinham duas pratas – uma conquistada em 1996, nos jogos de Atlanta, contra os Países Baixos, e, em 2006, quando perdeu por 3x1 sets para o Brasil.

O bronze do vôlei masculino foi para a equipe norte-americana que, na manhã de hoje, venceu a Rússia por 3 sets contra 2.

Sets

O jogo começou com o primeiro ponto da Itália que abriu a partida com uma atuação melhor do que a apresentada pela equipe brasileira. O Brasil chegou a recuperar a vantagem nos primeiro minutos, mas Ricardo Lucarelli errou o saque. Um ace de Lipe empatou o set em 6 a 6. Os italianos questionaram o ponto, que foi confirmada pelo replay.

Lipe também estourou o bloqueio, mas os italianos conseguiram retomar por mais alguns momentos. A virada definitiva do time brasileiro começou com um outro ace de Lucarreli. As duas equipes investiram nos saques. O Brasil virou 13x12, aos 15 minutos de jogo e o técnico italiano Gianlorenzo Blengini parou o set para tentar realinhar a equipe. O Brasil abriu mais dois pontos até Zaytsev atacar e os brasileiros bloquearem provocando mais uma dúvida. Foi a vez de a seleção brasileira pedir o auxílio do replay que provou o ponto do time da casa.

Mais um ace do Brasil, de Wallace, manteve a liderança e foi Wallace que também cortou a bola, em seguida, abrindo 5 pontos de vantagem superando mais um bloqueio italiano. A Itália conseguiu reduzir a diferença e Bernardinho pediu tempo em uma parada por precaução.

Bernardinho trocou William por Evandro para reforçar os bloqueios e o jogador chegou a quadra formando, nos primeiros instantes, uma muralha ao lado de Maurício Souza bloqueando a bola do italiano Gianelli. A vantagem brasileira foi mantida sob forte pressão da seleção italiana. O set chegou ao final com placar de 25x22 para o Brasil.

Segundo set

O segundo set fechou com 28x26, em 37 minutos, depois de uma disputa de revezamento de set points que esticou os nervos das duas equipes. O Brasil foi o primeiro a chegar ao set point, mas aparentemente tomados pelo nervosismo acabaram errando e criando a oportunidade para os italianos empatarem.

A equipe brasileira que chegou ao set point antes parecia ter sido tomada pelo nervosismo e acabou deixar os italianos se aproximarem com um placar de 24x24. Um bloqueio mal sucedido deu a Itália o set point. Com um toque de Maurício Souza, o Brasil retomou a bola, mas Lucarrelli errou o saque e voltou a vantagem para os italianos que também erraram. A recuperação definitiva veio de Maurício que superou a tensão dos últimos minutos fazendo um ponto de saque.

A Itália também tinha começado com vantagem no placa, porém o segundo set foi mais equilibrado entre as duas equipes. O equilíbrio entre as duas equipes se estabeleceu definitivamente já no início do terceiro set, com o revezamento do placar a cada ponto.

Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil
Edição: Carolina Pimentel

Conheça as mulheres que vão herdar o império de Silvio Santos

SBT passará a ser comandado por sete mulheres.
Após a morte de Silvio Santos, o SBT passará a ser comandado por sete mulheres – Íris Abravanel, Cíntia, Silvia, Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata. A mudança faz parte de um processo de reestruturação que passará a chefia da emissora e das outras 30 empresas do Grupo Silvio Santos para as mãos das seis filhas e da mulher de Silvio Santos.

Silvia e Cintia (filhas de Cidinha, primeira mulher de Silvio), e Daniela,Patricia, Rebeca e Renata (do casamento com Íris Abravanel) já assumiram funções bem definidas nas empresas do grupo do pai.

Daniela Beyruti, de 35 anos, é diretora artística e de programação do SBT. Patrícia, de 33, é apresentadora e parece ter herdado a veia artística do pai. Rebeca, de 30, é diretora de comunicação da Jequiti Cosméticos e Renata, de 27 anos, é diretora da holding do Grupo Silvio Santos, com cerca de 30 empresas.

Além disso, Silvia apresenta o “Bom Dia e C&A”, garantindo bons números para o canal. Já Irís, esposa do animador, escreve as tramas infantis da emissora, como “Carrossel”, “Chiquitas” e “Cúmplices de um Resgate”.

Para encontrar Cíntia Abravanel, 52, vá ao teatro. A filha número um do Patrão pertence mais às artes cênicas do que à teledramaturgia. Cíntia, que administrou o teatro Imprensa por anos, agora toca uma produtora que realiza espetáculos e administra a carreira do filho, o cantor e ator Tiago Abravanel. Em 2014, ela se aproximou dos negócios familiares: foi a responsável por adaptar a novela “Carrossel” para o teatro. “A maturidade traz isso para todos. Inclusive para mim. A gente tem a oportunidade de se descobrir, cada uma na sua maneira”.

Fonte: IG