Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sábado, 27 de agosto de 2016

A MULHER QUE GANHA A VIDA MATANDO TRAFICANTES

Quando você conhece alguém que já matou seis pessoas, não imagina que seja uma mulher pequena, bastante nervosa e com um bebê a tiracolo.
"Meu primeiro assassinato foi há dois anos. Estava muito assustada, porque era minha primeira vez", confessa María*, que hoje é uma assassina profissional envolvida na guerra que o governo das Filipinas trava contra as drogas.

A jovem faz parte de uma equipe formada por três mulheres, que são muito valorizadas por conseguirem se aproximar das vítimas sem levantar suspeitas - que seria mais difícil se fossem homens.

Desde que Rodrigo Duterte foi eleito presidente, em junho deste ano, e disse aos cidadãos e à polícia para matarem narcotraficantes, Maria já matou mais cinco pessoas - todas com um tiro na cabeça - desde sua "estreia" na carreira.

Questionada sobre quem lhe deu a ordem para acabar com essas vidas, ela responde: "nosso chefe na polícia".

A controversa guerra do Estado filipino contra as drogas é uma oportunidade de trabalho, mas também traz riscos. Na mesma tarde do encontro com a reportagem, ela e seu marido disseram aos seus superiores que a casa onde moram havia sido exposta e que precisavam se mudar o quanto antes.

Ela conta ter começado a matar quando um policial encarregou seu marido de assassinar um narcotraficante endividado. E a atividade acabou se tornando algo rotineiro para ele. Até que a própria Maria foi acionada. "Certa vez, precisaram de uma mulher, e meu marido me escolheu. Quando vi o homem que tinha de matar, me aproximei e atirei", conta.

Com informações do Portal Terra

PF indicia ex-presidente Lula, Marisa e mais três em processo da Lava Jato



Indiciamento foi protocolado no sistema da Justiça Federal nesta sexta (26). Entres os crimes, estão corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.
A Polícia Federal (PF) indiciou, nesta sexta-feira (26), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a mulher dele, Marisa Letícia, e mais três pessoas por crimes como corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

O indiciamento foi protocolado no sistema da Justiça Federal no início desta tarde. Os cinco são investigados por supostas irregularidades na aquisição e na reforma de um apartamento tríplex do Edifício Solaris, em Guarujá, no litoral de São Paulo, e no depósito de bens do ex-presidente.

Os outros três indiciados pela PF são: o ex-presidente da OAS, José Adelmario Pinheiro Filho (conhecido como Léo Pinheiro); o arquiteto Paulo Gordilho; e, por fim, o presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto.

Veja os crimes pelos quais cada um foi indiciado: 

Lula - corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro;
Marisa Letícia - corrupção passiva e lavagem de dinheiro;
Léo Pinheiro - corrupção ativa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro;
Paulo Gordilho - corrupção ativa e lavagem de dinheiro;
Paulo Okamotto - corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de capitais.

"Foi possível apurar que o casal Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia Lula da Silva foi beneficiário de vantagens ilícitas, por parte da OAS, em valores que alcançam R$ 2.430.193,61 referentes as obras de reforma no apartamento 164-A do Edifícios Solaris, bem como no custeio de armazenagem de bem do casal”, afirmou o delegado federal Márcio Adriano Anselmo, que assina o indiciamento.

No documento, o grupo de trabalho da PF para a Operação Lava Jato expõe conversas e trocas de mensagens entre os investigados e ainda fotos do tríplex.

Ainda conforme a PF, as obras de reforma do sítio em Atibaia, no interior de São Paulo, são objeto de apuração em outro inquérito. O mesmo ocorre em relação às suspeitas de que a Lils Palestras – empresa do ex-presidente – foi utilizada para receber valores de empresas citadas na Lava Jato.

O G1 tenta contato com as defesas dos envolvidos.

Fonte: G1

Governador nomeia 255 novos Policiais Civis



A posse acontecerá no Pacto por um Ceará Pacífico, na próxima segunda-feira.
O governador Camilo Santana confirmou que na próxima segunda-feira (29), serão empossados 255 novos policiais civis. O ato foi confirmado durante a terceira reunião do Comitê de Governança do Pacto por um Ceará Pacífico, ocorrida no Palácio da Abolição. Do total de 703 policiais que concluíram o Curso de Formação da Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp), os 255 que serão empossados passam a reforçar imediatamente os quadros da Polícia Civil, sendo 65 delegados, 105 escrivães e 85 inspetores.

"Uma das ações de fortalecimento da segurança pública é o aumento de efetivo. Essas nomeações vão permitir que todas as delegacias no Ceará tenham delegado e vão permitir a ampliação do número de delegacias 24 horas, tanto na Capital, Região Metropolitana como no Interior”, destacou o governador. 

As nomeações representam incremento de 30% no atual efetivo da corporação. A posse dos primeiros 255 policiais permitirá a instalação de novas delegacias 24 horas nos municípios de Quixadá, Iguatu, Crato e Crateús. O calendário de nomeações prevê chamada dos demais aprovados em outros dois momentos, em outubro e daqui a seis meses. 

A reunião foi marcada pela criação do programa "Um Novo Tempo", uma parceria entre um grupo educacional e do poder público, representado pelo Governo do Ceará que visa a implementar atividades de educação à distância dentro das unidades prisionais com objetivo de preparar os internos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e de alfabetização. A ação inclui ainda a doação de livros e material didático para os internos. "Essa parceria dá oportunidades para a ressocialização de quem cumpriu sua pena e para que não retornem ao crime”, destacou o governador. 

Vale destacar que, no último ano, o Ceará bateu recorde no número de presidiários aprovados no Sisu (11) e que garantiram bolsas do Prouni (18). No ano passado, foram 1.682 inscritos no Enem, 44% a mais que em 2014.

CNEWS