Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sábado, 4 de março de 2017

Após vídeo brutal vazar, polícia identifica acusados de matar travesti Dandara dos Santos em Fortaleza


A travesti Dandara dos Santos foi assassinada no dia 15 de fevereiro no fim da linha do Jardim Jatobá, em Fortaleza, Ceará. O crime bárbaro foi feito por meio de socos, chutes, chineladas, pauladas e pedradas.


Um vídeo caiu na internet nesta sexta-feira (3) e comoveu as redes sociais pela violência em que Dandara é submetida. São pelo menos cinco agressores.

Enquanto um filma, os outros agridem e pedem para ela subir em uma carriola. Ela é chamada de “viado sem peito”, “imundiça” de calcinha e tudo” e é constantemente agredida. 

Ao ser colocada em cima da carriola, elas continuam com a violência. Dandara apresentava sinais de agressão na cabeça e por todo o corpo. A pessoa que filma diz em tom de deboche: “Eles vão matar o viado”. 

Em conversa com o NLUCON, o inspetor Damasceno do 32º DP, afirmou que os seis acusados já foram identificados e que o vídeo - que correu em grupos de travestis e transexuais - ajudou na identificação. 

"Esse vídeo também está circulando entre os policiais. São dois maiores de idade e quatro menores. Fomos no dia seguinte na casa deles, mas eles fugiram. O inquérito já está sendo bem apurado e estamos indo atrás", declarou ele. Até agora ninguém foi preso.


De acordo com a Rede Trans, Dandara foi a quinta a travesti a ser assassinada no último mês. Na mídia tradicional nem uma nota saiu sobre o ocorrido, apenas uma postagem de uma amiga de Dandara no Facebook.////
freelance24horas.

Suborno e corrupção: "Rei Arthur" pode ter garantido Olimpíada de 2016 no Rio



A imprensa francesa alega que empresário brasileiro teria subornado filho de dirigente para eleger a Cidade Maravilhosa como sede dos Jogos de 2016.
O jornal "Le Monde" publicou nesta sexta-feira (3), uma denúncia que envolve a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016. A imprensa francesa suspeita que "Rei Arthur", um empresário bilionário brasileiro, teria subornado o filho de um influente dirigente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

De acordo com a publicação, Arthur Cesar de Menezes Soares Filho repassou R$ 4,7 milhões a Papa Massata Diack, filho do então presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) e membro do comitê executivo do COI, o senegalês Lamine Diack. A transferência ocorreu três dias antes da eleição para a escolha da sede, que definiu o Rio em 2 de outubro de 2009.

O caso é investigado na França desde dezembro de 2015. A transferência bancária foi feita pela Matlock Capital Group, uma holding nas Ilhas Virgens, paraíso fiscal, que possui ligação direta ao brasileiro Arthur Soares Filho. O dinheiro foi direto para a conta da empresa de Papa Diack, a Pamodzi Consulting, e teria sido utilizado para a compra de votos.

As informações apontam que dias depois, a Matlok, mesma empresa que fez a primeira transferência, fez uma outra na qual encaminhou R$ 1,5 milhões à uma conta de Papa Diack na Rússia.

Acusações

O pai de Papa Diack, Lamine Diack, está em prisão domiciliar na França e foi banido dos esportes devido acusações de corrupção e lavagem de dinheiro no esquema de doping russo. Já Arthur Soares Filho, o "Rei Arthur", é investigado na "Operação Calicute", uma das fases da Lava Jato. O empresário é conhecido na imprensa nacional por sua amizade com o ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, que se encontra preso por corrupção.

Mário Andrada, chefe de comunicação dos Jogos Olímpicos Rio 2016, foi questionado pelo jornal francês. "As eleições foram limpas. O Rio ganhou por 66 votos contra 32, foi uma vitória clara", disse ao "Le Monde".

Fonte: Esporte Ig

Goleiro Bruno recebe proposta de nove clubes, incluindo dois da Série A



De acordo com o advogado Lucio Adolfo da Silva, a carreira dele vai voltar a decolar dentro de oito a dez dias.
Uma semana após obter liminar deferida pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), e deixar a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), em Santa Luzia, Minas Gerais, Bruno está muito perto de voltar ao futebol. Nove clubes do Brasil já demonstraram interesse em contratar o goleiro, considerado culpado pelo homicídio, sequestro e cárcere privado da modelo e ex-namorada Eliza Samudio. Seriam três cariocas, três mineiros, dois paulistas e um de Brasília.

"Dois desses clubes disputam a Série A do Campeonato Brasileiro", garantiu Lucio Adolfo da Silva, advogado de Bruno, admitindo, porém, que o Brasiliense deve ser o destino mais provável do jogador. A contratação de Bruno teria sido um pedido do próprio presidente do clube candango, o ex-senador Luiz Estevão, preso após ser condenado em 2006 a 31 anos por crimes de corrupção.

De acordo com o advogado, a carreira de Bruno vai voltar a decolar dentro de oito a dez dias. Ele, inclusive, vislumbra um futuro vencedor para o cliente e não acredita na possibilidade de o habeas corpus ser cassado e de Bruno voltar à cadeia.

"Acho essa possibilidade muito difícil, quase impossível. Tecnicamente até pode ser viável, mas eu não creio que isso aconteça", frisou.

Lucio Adolfo minimiza o fato de Bruno ter um compromisso assinado com o Montes Claros, clube de Minas Gerais, com validade de 2014 a 2019, e que, no momento, está fechado devido a dificuldades financeiras.

"A solução em relação ao Montes Claros é simples. O Bruno nunca jogou pelo clube, nunca assinou um contrato e nunca recebeu um salário. Ele nem sequer recebeu uma visita do presidente do Montes Claros (Ville Mocelim)", ressaltou o advogado, que evitou dar outros detalhes sobre os demais clubes interessados no goleiro que brilhou no Flamengo.

Fonte: O Dia