Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

segunda-feira, 27 de março de 2017

Moro autoriza uso de imagens de condução coercitiva de Lula em filme


Foto: Paulo Pinto / Fotos Públicas
 O juiz federal Sergio Moro afirmou na última sexta-feira (24) que impedir que as imagens de condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sejam usadas pela produção do filme "Polícia Federal - a lei é para todos" e pela revista Veja seria um ato de censura. Na quinta, a defesa do petista pediu sigilo sobre as imagens, com a justificativa de que o filme busca "macular a imagem de Lula perante a sociedade. Eles ainda questionam o sigilo dos financiadores do filme. "Com estes dois elementos em vista, questionamos: a quem interessa financiar um filme que elege, seletivamente, como principal símbolo da atuação da PF no combate a? corrupção a ilegal condução coercitiva de Lula, ignorando outros tantos fatos e pessoas que compõem a história da referida operação? A quem interessa macular a imagem do ex-Presidente, justamente quando simulações de institutos de pesquisa o colocam em posição de destaque na disputa presidencial de 2018?", afirmaram os advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins, segundo o Conjur. "Observo inicialmente que não cabe a este juízo impor censura a veículos de comunicação ou mesmo à produção de algum filme. Não são eles sequer partes deste processo", decidiu Moro.

Anvisa autoriza reajuste de até 4,76% nos medicamentos a partir de abril


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) definiu os percentuais de aumento dos preços de medicamentos a partir de abril.

Os remédios patenteados poderão ficar mais caros em até 4,76%. Os genéricos e que não exigem prescrição, 1,36%. Enquanto os demais, 3,06%.

No início do mês a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) já havia estimado que o índice máximo de reajuste de medicamentos em 4,76%.

A entidade destaca que, mais uma vez, a média dos reajustes está abaixo da inflação, fato que vem se repetindo desde 2005, com exceção de 2016.

Fonte: Ceará News 7