Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Planalto teme reação da PGR à decisão do STF de soltar presos da Lava Jato

Brasília 05.10.2016- O presidente Michel Temer e o ministro do STF, Rodrigo Janot participam de sessao comemorativa ao 28º aniversario da Constituicao Federal do Brasil (Jose Cruz/Agencia Brasil) ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
A interrupção pelo STF (Supremo Tribunal Federal) de prisões consideradas abusivas na Lava Jato foi celebrada no centro da política em Brasília, mas o Palácio do Planalto também prevê que a decisão deve acirrar o conflito entre instâncias do Judiciário e do Ministério Público.

Auxiliares do presidente Michel Temer acreditam que o movimento do Supremo para libertar personagens presos por ordem do juiz Sérgio Moro tende a provocar reações da Justiça e dos procuradores, com efeitos colaterais sobre a classe política.

O maior temor é que haja uma "roleta-russa" provocada pela disputa de poder entre o Supremo, a PGR (Procuradoria-Geral da República), o Judiciário de primeiro e segundo graus e o Ministério Público Federal no Paraná.

Aliados do presidente se dizem certos de que as condenações de políticos sem foro privilegiado por Moro tendem a ser mais rápidas e confirmadas com mais celeridade por tribunais regionais federais.

Com isso, as primeiras instâncias do Judiciário garantiriam o início da execução das penas, superando os argumentos do Supremo contra o excesso de prisões provisórias "alongadas" na Lava Jato.

Alguns assessores presidenciais dizem, inclusive, que o movimento do STF pode provocar uma reação que culmine na precipitação de denúncias da PGR contra ministros de Temer.

Esse movimento desmontaria a estratégia de manter no governo auxiliares investigados até que uma denúncia formal seja oferecida pela procuradoria. Nesse caso, o presidente seria obrigado a afastar temporariamente os ministros denunciados.

Como a Folha noticiou em abril, expoentes dos principais partidos do país passaram a articular um acordo para resguardar a classe política dos efeitos da Lava Jato. Entre as soluções estava a reversão de prisões classificadas como abusivas.

Em caráter reservado, aliados de Temer reconhecem que a decisão de relaxar prisões preventivas e temporárias tira o peso de personagens que poderiam fechar acordos de delação premiada, como o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-ministro Antonio Palocci.

Se as condenações forem aceleradas no Paraná e eles tiverem que começar a cumprir pena, entretanto, podem voltar a enxergar as colaborações com a Justiça como uma saída ""o que atingiria o núcleo político do governo e alas do empresariado.

Folha de S.Paulo

Em dois anos e cinco meses, 60 agentes da Segurança Pública foram mortos no Ceará


A violência não poupa os agentes da lei e neste ano, oito PMs foram mortos no Ceará

 
Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Coordenadoria de Inteligência Policial (CIP) devem voltar, nesta quinta-feira (4),ao bairro Ellery, na zona Oeste de Fortaleza, em busca de pistas que possam identificar o bandido responsável pelo assassinato de um PM. Neste ano, já são 11 agentes da Segurança Pública assassinados no Ceará. As vítimas foram oito policiais militares, um bombeiro militar e dois guardas municipais. No ano passado, foram 34; e em 2015, outros 15, totalizando 60 vítimas em dois anos e cinco meses incompletos.

O assassinato mais recente ocorreu na tarde de ontem (3), quando o soldado da Polícia Militar do Ceará, Francisco Gledson Matias, 37 anos, casado, foi baleado no peito ao reagir a uma abordagem de um assaltante.

De acordo com as primeiras informações da Polícia, o soldado Matias, pertencente à 2ª Companhia do 7º BPM (Crateús), mas lotado no Destacamento da cidade de Ipueiras (a 298Km de Fortaleza), estava de folga, e à paisana, na porta de sua residência, localizada na Rua Esperança.

Segundo o chefe do Comando do Policiamento da Capital (CPC), coronel PM Francisco Souto, um homem numa motocicleta branca abordou o militar e exigiu seu telefone celular.

Filmado?

O soldado Matias teria, supostamente, reagido ao ataque mesmo estando desarmado, e sofreu um tiro no peito, enquanto o atirador fugia do local em uma motocicleta de cor branca. O militar ainda chegou a ser socorrido por vizinhos e levado ao “Frotinha” de Antônio Bezerra, onde faleceu logo depois.

Câmeras de residências e pontos comerciais da área podem ter registrado as cenas do crime. Com este registro, sobem para oito o número de policiais militares assassinados em 2017.

Outro caso

O penúltimo caso de assassinato de PM no Ceará ocorreu no dia 19 de abril passado, quando o 1º sargento da Ativa, Paulo César Silva, 48 anos, foi baleado e morto numa tentativa de assalto. O crime de latrocínio ocorreu na Rua Maceió, bairro Henrique Jorge. Silva era destacado na 5ª Companhia do 1º BPCom/Ronda do Quarteirão (Bairro Cristo Redentor), em Fortaleza..

Veja agora a lista dos agentes da Segurança Pública mortos no Ceará em 2017:

01 – (22.1) – FRANCISCO ARLINDO DA SILVA VIEIRA FILHO – Cabo da PM, morto por assaltantes na Rua Curitiba, no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza.

02 – (11.2) – IVAN CÉSAR FERREIRA LOPES – 67 anos, guarda municipal de Fortaleza, aposentado, morto dentro de sua residência na Rua Pedro Boêmio, no Parque Leblon, no Município de Caucaia. Execução sumárias.

03 – (3.3) – JOSÉ EUDES DE SOUSA, 51 anos, sargento reformado da PM, assassinado, a tiros, numa propriedade rural da família, na zoina rural do Município de Limoeiro do Norte.

04 – (5.3) – FRANCISCO ERONILTON DE QUEIROZ, 45 anos, policial militar, soldado PM, estava em LTS (Licença Para Tratamento de Saúde), assassinado, a tiros, em sua motocicleta, na Rua 89 do Conjunto Prefeito José Walter, em Fortaleza.

05 – (8.3) – JOSÉ GONÇALVES DA FONSECA, guarda municipal da Prefeitura de Fortaleza. Corpo encontrado com tiros no matagal na Cidade Fortal, no bairro Cidade 2000, em Fortaleza. Caso de latrocínio.

06 – (18.2) – LUÍS CARLOS RIBEIRO DE ARAÚJO, 48 anos, policial militar, cabo PM, assassinado, a tiros, dentro de sua residência, na Rua A do Conjunto Nova Metrópole, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Execução por conta de rixa com traficantes.

07 – (22.3) – FRANCISCO LUCIANO FERREIRA GADELHA, subtenente da Reserva Remunerada do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBM), morto, a tiros na calçada de sua residência, no Conjunto Jereissati, em Maracanaú, pelo traficante JANGLEDSON DE OLIVEIRA, o “NÉM”, Que tinha um relacionamento com a filha do militar e a seqüestrou por ocasião do homicídio.

08 – (01/04) – MÁRCIO FRANKLIN RODRIGUES BRAZ – Sargento da Ativa da PM, destacado no Colégio da Polícia Militar General Edgard Facó, morto durante um assalto na Avenida Doutor Silas Munguba, no bairro Serrinha, em Fortaleza, por dois criminosos.

09 – (16/04) – MENANDRO CAVALCANTE NUNES – 33 anos, soldado PM do BPRaio da cidade de Russas, assassinado, a tiros, durante um conflito dentro de um clube na zona rural de Russas, onde dois bandidos também foram mortos e outros PM (SD Alexandre) foi baleado.

10 – (19.04) – PAULO CÉSAR SILVA, 48 anos, casado, destacado na 5ª Companhia do 1º BPCom/Ronda do Quarteirão (Cristo Redentor), morto, a tiros, por assaltantes na Rua Maceió, no bairro Henrique Jorge, em um crime de latrocínio.

11 – (03.05) – FRANCISCO GLEDSON MATIAS, soldado da Ativa da PM, 37 anos, casado, destacado na 2ª Companhia do 7º BPM (Crateús), mas lotado no Destacamento de Ipueiras. Ele foi baleado e morto por um assaltante na porta de sua residência, na Rua Esperança, bairro Ellery, em Fortaleza (LATROCÍNIO).



Fonte Ceará News 7