Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

terça-feira, 23 de maio de 2017

Praia do Futuro, em Fortaleza, está 100% imprópria para banho

100% imprópria, Praia de Futuro tem até 16 mil coliformes a cada 100ml


A mostras coletadas nos 11 pontos da orla leste de Fortaleza, onde está toda a faixa da Praia do Futuro, exibiram uma quantidade de no mínimo 2,5 mil coliformes termotolerantes (conhecidos como fecais) por cada 100ml de água do mar. Pela segunda semana consecutiva, todo o litoral leste de Fortaleza esteve impróprio para banho. O mar escuro e a comprovação de poluição se confunde à explicação de que são algas as responsáveis pelo tom amarronzado. Não há avisos sobre balneabilidade do local.

Muitos banhistas, entretanto, dizem não sentir — pelo menos de imediato — sintoma dessa poluição no corpo. Mas, identificam estranheza na cor e no cheiro da água. “Está muito marrom, escura e com um fedor também”, contou Álvaro, 9 anos. Justamente no fim de semana em que ele conseguiu fazer a mãe levá-lo para um mergulho, a Praia do Futuro estava imprópria para banho. “Tivemos de entrar, porque ele pediu muito. Mas, em casa o banho será reforçado”, alerta a mãe, a professora Cláudia de Sousa, 39.

Para o professor de surf Devlyon dos Santos, quando o mar está muito sujo, é possível ver restos de madeira e plástico. “Mas, essa coloração é mais por causa das microalgas, eu acho. Para a gente, que trabalha no mar, de um jeito ou de outro, temos de entrar”, disse.


Fonte O Povo

Lula é denunciado pela Procuradoria por corrupção e lavagem no sítio de Atibaia



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado nesta segunda-feira, 22, pela força-tarefa da Operação Lava Jato, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do Sítio de Atibaia, interior de São Paulo. Também foram denunciados outros 12 investigados. As informações são do portal Estadão.

A denúncia se baseia em propina de pelo menos R$ 128.146.515,33 pagas pela Odebrecht, em quatro contratos firmados com a Petrobras, e também vantagens indevidas de R$ 27.081.186,71, pagas pela OAS, em três contratos firmados com a estatal.


Fonte O Povo