Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

domingo, 21 de maio de 2017

Ex-vice-prefeito e suplente de vereador de Dep. Irapuan Pinheiro morre em acidente em Itapipoca (CE)



O ex-vice-prefeito e suplente de vereador de Deputado Irapuan Pinheiro, na Região Sertão Central do Ceará, Valério Lima Cavalcante, de 52 anos, foi vítima de um acidente grave de trânsito no município de Itapipoca/CE. O acidente ocorreu na tarde desta sexta-feira, 19.

O ex-vice-prefeito e suplente de vereador estava em um veículo acompanhado de sua esposa e de um filho menor de idade. Valério Lima não teria resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Sua esposa e o filho do casal estariam machucados.

Valério Lima foi vice-prefeito de Dep. Irapuan Pinheiro entre 1997 e 2000 e atualmente era suplente de vereador desta cidade.

O mesmo residia em Fortaleza.

Febre chikungunya mata mais três pessoas no Ceará


O Ceará registrou mais três óbitos em consequência da febre chikungunya, totalizando oito mortes pela doença neste ano, segundo boletim divulgado nesta sexta-feira (19) pela Secretaria da Saúde do Ceará. O estado registra também 16.185 casos confirmados da doença, três mil a mais que na semana passada.

Houve aumento também no número de casos de dengue no Ceará. Em 2017, foram notificados 35.647 casos da doença, correspondendo a uma taxa de incidência no estado de 397,7 casos por 100 mil habitantes. Conforme a Organização Mundial da Saúde, esse dado classifica o Ceará como região que enfrenta nível epidêmico da dengue.

A dengue resultou na morte de três pessoas no Ceará neste ano, conforme a Secretaria da Saúde.

Em relação ao vírus da zika, em 2017, foram notificados 1.330 casos suspeitos de zika no Ceará, destes 9,9% (132) foram confirmados. As três doenças, zika, chikungunya e dengue, são causadas pelo mosquito, o Aedes aegypti.

Chikungunya e os sintomas

Por ser transmitido pelo mesmo vetor da dengue, a infecção pelo chikungunya segue os mesmos padrões sazonais da dengue. Entre quatro e oito dias após a picada do mosquito infectado, o paciente apresenta febre repentina acompanhada de dores nas articulações.
Outros sintomas, como dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele, fazem com que o quadro seja parecido com o da dengue. A principal diferença são as intensas dores articulares.

Em média, os sintomas duram entre 10 e 15 dias, desaparecendo em seguida. Em alguns casos, porém, as dores articulares podem permanecer por meses e até anos.

De acordo com a OMS, complicações graves são incomuns. Em casos mais raros, há relatos de complicações cardíacas e neurológicas, principalmente em pacientes idosos. Com frequência, os sintomas são tão brandos que a infecção não chega a ser identificada, ou é erroneamente diagnosticada como dengue.

Fonte: G1