Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

segunda-feira, 22 de maio de 2017

PF faz perícia de gravação da conversa entre Joesley e Temer


Joesley Batista
O áudio da gravação feita por Joesley Batista, empresário da JBS, de uma conversa entre ele e o presidente Michel Temer será periciada pela Polícia Federal. O gravador utilizado já está com agentes do órgão, que recebeu os questionamentos da defesa de Temer. A informação é do jornal O Estado de São Paulo.

A Procuradoria Geral da República (PGR) também fez os mesmos questionamentos. Os peritos oficiaram a PGR pedindo o equipamento para fazer a gravação, considerado fundamental para concluir a análise.

A defesa de Temer questiona os áudios desde que os jornais levantaram questionamentos a respeito das gravações. Perícia encomendada pelo jornal Estadão apontou uma edição com 14 cortes no áudio da conversa entre Joesley e o presidente. O material foi entregue como prova aos procuradores do que havia dito na delação premiada.

A perícia não tem prazo para conclusão.



Fonte Diário do Nordeste

Aécio Neves vai ao Supremo para tentar retomar mandato no Senado


O senador Aécio Neves não pode falar nem se encontrar com investigados ou réus do mesmo inquérito. ( Arquivo )

A defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) vai apresentar ao STF (Supremo Tribunal Federal), na segunda-feira (22), um pedido para retomar seu mandato.

Na Operação Patmos, deflagrada na última quinta (18), o ministro Edson Fachin determinou o afastamento de Aécio do Senado e "de qualquer outra função pública". Fachin também exigiu que o parlamentar entregasse o passaporte, já que ele está proibido de sair do país.

Aécio não pode falar nem se encontrar com investigados ou réus do mesmo inquérito. "Vamos pedir a revogação das cautelares. O passaporte, ele vai entregar. Mas o afastamento do mandato é ilegal, não há amparo na Constituição", afirmou Alberto Toron, advogado do senador.

Fachin acatou parcialmente os pedidos apresentados pela PGR (Procuradoria-Geral da República). Embora tenha aceitado afastar o tucano do cargo do Senado, o ministro rejeitou o pedido de prisão e não exigiu o uso de tornozeleira eletrônica.

Rodrigo Janot, procurador-geral da República, ainda não protocolou nenhum recurso sobre a negativa do Supremo -se o fizer, o caso deve ser levado ao plenário.


Fonte Diário do Nordeste