Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Estrago é grande, diz assessor de Temer sobre delação da JBS

O presidente Michel Temer (PMDB) foi atingido por delação da JBS
Após reportagem do jornal "O Globo" afirmar que o dono da JBS, Joesley Batista, afirmou à PGR (Procuradoria-Geral da República) que o presidente Temer deu aval à compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha e do operador Lúcio Funaro, ambos presos na Operação Lava Jato, o assessor especial do presidente Temer e ex-deputado Sandro Mabel avaliou que o "estrago é grande" e a denúncia está sendo "analisada" no Planalto. No entanto, ele disse que a frase que o peemedebista teria falado na gravação é "uma frase que se usa em qualquer momento, em qualquer lugar".

"Não acho que o presidente ia endossar um negócio desses. [Quanto ao momento da revelação], parece que as coisas são feitas de propósito", defendeu ao ressaltar que é preciso "pensar no país" e não somente em soluções políticas.

Questionado se o pedido de impeachment feito pelo deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) terá andamento e as reformas serão paralisadas, Mabel disse que a oposição está apenas cumprindo o seu papel.

Em nota, o Palácio do Planalto disse que houve o encontro, mas que Temer não tratou do silêncio de Cunha.

Uol