Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Primeira quinzena de maio registrou 216 homicídios no Ceará, com média de 14,4/dia. Na Capital, foram 93 assassinatos

Homicídio 30
A guerra entre facções tem deixado um rastro de sangue nas ruas da periferia de Fortaleza
Ao menos, 216 pessoas foram assassinadas no Ceará nos primeiros 15 dias do mês de maio/2017, o que representa uma média de 14,4 homicídios por dia no estado. À exemplo do que ocorreu em abril, neste mês a Capital cearense aparece na estatística como a região pesquisada com o maior número de registros de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) deste intervalo. Foram 93 assassinatos, o que representa 43 por cento do total.
Já a Região Metropolitana de Fortaleza, que inclui Municípios tradicionalmente violentos, como Maracanaú, Caucaia e Pacajus, teve o registro de 55 homicídios, latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de óbito.
No Interior Sul, foram registrados 40 crimes de morte nestes 15 dias iniciais de maio de 2017, enquanto no Interior Norte foram 28, a região de menor índice de assassinatos.
Neste mesmo período, foram registrados sete duplos homicídios na Grande Fortaleza, nos seguintes locais: Pecém (em São Gonçalo do Amarante), bairro Quintino Cunha (Avenida Major Assis), Pirambu (Rua Dom Quintino), Pici (Avenida Humberto Monte), CE-060 (em Guaiúba), Bairro Padre Júlio Maria (em Caucaia), Barra do Ceará (Avenida Senador Robert Kennedy).
No Interior cearense foram registrados três casos de duplos homicídios, nos Municípios de Russas, Barreira e Jijoca de Jericoacoara.
Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, em todo o mês de maio do ano passado, em 31 dias, foram registrados no Ceará, 285 CVLIs. /////http://blogdofernandoribeiro.com.br/

Feirantes mantêm o protesto no entorno da Rua José Avelino e a Tropa de Choque da PM permanece no local

image3
A situação é tensa no local com muito fogo e fumaça na Avenida Alberto Nepomuceno
No quarto dia de protestos, os feirantes da Rua José Avelino, no Centro de Fortaleza, voltaram a queimar pneus e a impedir o trânsito no entorno do local onde a feira se realiza. O Batalhão de Polícia de Choque da PM (BPChoque), a tropa da Guarda Municipal de Fortaleza  (GMF), agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e da Cidadania (AMC) e fiscais do comércio ambulante tentam contornar a situação, juntamente com várias guarnições do Corpo de Bombeiros Militar.
Na manhã desta terça-feira os manifestantes mudaram o local do protesto. Eles saíram do viaduto da Avenida Leste-Oeste, onde havia interrompido o tráfego com barreira de fogo, na manhã de segunda-feira, e passaram para a Avenida Alberto Nepomuceno, nas cercanias do Mercado Central e do Comando da Décima Região Militar.
Os protestos se estenderam também pela Avenida Pessoa Anta, causando dificuldades no tráfego de veículos principalmente para os condutores e passageiros que tentam chegar ao Centro procedentes de bairros da zona Leste da cidade. 
Também está difícil o tráfego para quem tentar chegar à Avenida Leste-Oeste nas proximidades da sede da Secretaria Estadual da Fazenda do Ceará (Sefaz).
A Polícia Militar mantém efetivos do Batalhão de Choque e da Cavalaria no local. Até agora, não foi registrada nenhuma prisão nem feridos.///////http://blogdofernandoribeiro.com.br/