Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

domingo, 14 de maio de 2017

Homossexual foi morto a facadas em Juazeiro do Norte

Ontem por volta das 23:30 por trás dá rodoviária de Juazeiro do Norte, bem próximo a garagem da Via Metrô uma jovem identificada até o momento por "Ketlin" foi atacada por um indivíduo até o momento não identificado, o mesmo desferiu vários golpes de faca contra a vítima que veio a óbito no local. A vítima em questão era travesti e era garota de programa naquela localidade. A polícia ao receber o comunicado do sinistro compareceu ao local, ninguém soube passar informações que levassem até o encontro do acusado de desferir os golpes, após diligências foram feitas na localidade, mesmo assim a polícia não obteve êxito na busca. A perícia forense foi comunicado e compareceu ao local para fazer o translado do corpo. Blog do Gesso


Dos 84 investigados na Lava Jato, pelo menos 50 pretendem disputar próximas eleições


Foto: Geraldo Magela / Agência Senado
 Dos 84 políticos investigados na Lava Jato, ao menos 50 demonstram interesse em permanecer na vida política. A maioria deles pretende disputar as próximas eleições, de acordo com um levantamento feito pela Folha de S. Paulo. A pesquisa foi respondida por todos os deputados e senadores que figuram as duas listas enviadas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF), em março de 2015 e em março deste ano. Para 54 deles, não existe sequer a possibilidade de terem seus mandatos cassados, como aconteceu com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "Nem que a vaca tussa, medo nenhum [de processo de cassação]. Primeiro, não cometi crime. Segundo, quem não deve não teme. Se o apelido do Lula na Odebrecht era 'amigo' e o meu era 'inimigo', isso já autoexplicativo", afirmou o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Delações da empreiteira apontam que ele recebeu R$ 175 mil via caixa dois em 2006. O ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que é alvo de 17 inquéritos, preferiu minimizar a investigação. "Eu estou sendo investigado pela interpretação, pelo 'ouvi dizer'. Há evidente falta de provas", declarou. Alguns parlamentares até se ofenderam com a questão, como o senador Eduardo Braga (PMDB-AM). "É descabida [a pergunta], estamos em uma fase de inquérito, que sequer se transformou em denúncia. Essa pergunta não tem fundamento nenhum", retrucou. Braga é acusado de receber R$ 1 milhão referente à construção da ponte Rio Negro. A pesquisa apurou ainda que 38 parlamentares veem como abuso de poder a conduta do juiz Sérgio Moro diante do processo e outros 48 enxergam problemas na atuação do Ministério Público Federal.