Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quarta-feira, 15 de março de 2017

Abaixo-assinado pedindo Lula em 2018 só garante votos para eleger petista a vereador


Manifesto soma menos de 50 mil assinaturas.
O abaixo-assinado "Manifesto Pró Lula Presidente 2018" registra, até as 18h50 desta terça-feira (14), 48.552 assinaturas.

O número é suficiente para eleger o ex-presidente Lula ao cargo de vereador.

Via Cearanews7

Governador sugere que TCM corte "regalias" e Domingos Filho desafia Camilo



Camilo disse que “muito fácil sempre penalizar a população”; já Domingos acusou Governo de fazer corte proposital para impedir fiscalizações.
O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), repercutiu nesta terça-feira (14) a decisão do presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Domingos Filho, de cortas fiscalizações e reduzir o tempo de expediente, alegando prejuízo com o corte de R$ 20 milhões que o Tribunal sofreu no final do ano passado. Enquanto Camilo disse que o TCM deveria “cortar regalias”, o presidente do órgão desafiou o governador a mostrar tais regalias e fez acusações.

Camilo afirmou que nunca foi procurado pelo presidente Domingos Filho para conversar sobre a situação do TCM e disse que era “muito fácil sempre penalizar a população”. Ele falou ainda que o TCM deveria cortar despesas, reduzir salários e cortar “regalias”, sem dizer quais.

No sábado (11), o presidente do TCM divulgou nota em que informa a suspensão, por tempo indeterminado, de serviços como atendimento ao público, atendimento a denúncias sobre desvio de recursos por entes municipais, capacitações presenciais, fiscalização de licitações, contratos e convênios cujos documentos não estejam no TCM e todas as viagens do órgão aos municípios.

Desde o final de 2016, o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa travam batalha com o TCM, que chegou a ser extinto pelo Poder Legislativo e opera com base em liminar do Supremo Tribunal Federal. A Lei Orçamentária Anual de 2017 reduziu os repasses para o TCM em R$ 20 milhões. Domingos Filho já foi aliado do grupo político do governador, mas o fim da relação ficou claro desde a campanha para presidente da Assembleia, quando Domingos apoiou o deputado Sérgio Aguiar (PDT) e Camilo, o presidente reeleito, Zezinho Albuquerque (PDT).

Diante da nova decisão do TCM, o governador voltou a defender a unificação do órgão com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e ressaltou que a junção era motivada pela redução de custos.

“O presidente (Domingos Filho) procurou alguém, procurou o Poder Executivo para argumentar: ‘por que está havendo esses cortes?’ Eu nunca tive nenhuma solicitação quanto a isso. Cabe ao Tribunal tomar essa iniciativa antes mesmo de fazer qualquer corte”, disse o governador.

Ele ainda fez um comparativo com a situação de corte de repasses e de arrecadação que o Poder Executivo tem sofrido. “Era muito fácil pra mim dizer: ‘vou cortar os serviços da saúde, vou cortar os serviços da educação do Estado do Ceará’. Eu tive uma queda de arrecadação violenta nesses últimos ano e priorizei. Corte lá (no TCM) os salários, como eu estou fazendo com o dos secretários, diminua as despesas para poder focar naquilo que é mais importante que é atender a população, acho que isso é que é o mais importante. É muito fácil sempre penalizar a população. Vamos cortar as regalias lá do Tribunal…”, afirmou Camilo, sem dizer a que tipo de “regalias” se referia.

Contrapartida

Em resposta ao governador Camilo Santana, em nota, o presidente do TCM negou nunca ter procurado o Poder Executivo. Segundo o TCM, foi enviado “Ofício nº. 217/2017 em 5 de janeiro de 2017 explicando a situação orçamentária do TCM, solicitando ao Governador Camilo Santana a suplementação do orçamento do órgão”. “O TCM agiu institucionalmente, como deveria fazer”, diz a nota.

O presidente do órgão ainda acusa o governador de “decidir de propósito diminuir as receitas do TCM para impedi-lo de fiscalizar os recursos públicos municipais”. Em contrapartida à recomendação de cortes de gastos e “regalias”, Domingos fala que Camilo deve começar “´pelos excessos dos gastos do Governo” e cita as despesas com “Cartão Corporativo para banquetes” e acusa o governador de gastar mais de 12 milhões com alimentação enquanto o TCM “gastou R$ 16 milhões em todo o seu custeio para fiscalizar os 184 municípios”

Domingos diz ainda que o Camilo “faz um governo sem planejamento” e desafiou o governador a mostrar “os excessos que alega ter o TCM” para que “possa demonstrar os custos astronômicos e embaraçados de seu governo”.

Procurado pela Tribuna BandNews FM, o Governo do Estado ainda não se pronunciou sobre os ataques do presidente do TCM.

Fonte: Tribuna do Ceará