Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

sábado, 12 de agosto de 2017

Governo Temer congelará salários de servidores em 2018; sete categorias serão atingidas


Com a revisão da meta de deficit deste ano e de 2018 praticamente definida, a equipe econômica prepara medidas para cortar gastos e aumentar receitas. Pelo lado dos gastos, o Governo Temer congelará salários de servidores em 2018 para economizar R$ 9,8 bilhões.
O Ministério do Planejamento espera o envio da nova proposta de reoneração da folha de pagamento para o Congresso. 
Serão atingidos, conforme aponta levantamento do jornal Folha de S.Paulo divulgado neste sábado (12): 
  1. professores;
  2. militares;
  3. policiais;
  4. auditores da Receita Federal;
  5. peritos do INSS;
  6. diplomatas e oficiais de chancelaria;
  7. carreiras jurídicas;
Outras categorias poderão ser incluídas. Além disso, o salário inicial de novos servidores ficará restrito a R$ 5.000 e haverá corte de benefícios como auxílio-moradia e ajuda de custo em casos de remoção. Embora tenha desistido de aumentar o Imposto de Renda (IR), benefícios tributários devem ser revistos para melhorar a arrecadação.
LDO 2018 e anúncio deve ocorrer nesta segunda (14)
Sem novos recursos, a conta não fecha e ficará difícil cumprir as metas de deficit que devem ser anunciadas na segunda-feira (14). Para 2017, a meta passará de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões. Para 2018, de R$ 129 bilhões também para R$ 159 bilhões.
A pressa para a revisão se deve à necessidade de envio ao Congresso de propostas para alterar a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2018 antes do fim do mês. Somente depois de aprovada a mudança, o Executivo poderá enviar a proposta de Orçamento do ano que vem.
Novos impostos em "último caso"
Apesar da declaração emitida por Temer sobre a desistência de aumentar o IR,  o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou na última terça (8) que aumento de imposto só vai ocorrer em último caso.
O dirigente voltou a falar que há estudos, mas não há nada ainda definido sobre o tema e o governo tem até o próximo dia 31 para avaliar o que vai fazer para conseguir mais recursos. "De fato existem no âmbito técnico do governo estudos diversos sobre impostos", disse o ministro.
Serviços essenciais
Outro problema será buscar receitas para o desbloqueio de R$ 5 bilhões neste ano. Sem esse recurso, serviços essenciais da administração federal podem parar a partir de setembro: cobranças de dívidas ou emissões de documentos poderiam ficar comprometidas, por exemplo.
A Fazenda está em alerta monitorando as receitas de tributos de agosto para avaliar se a queda de julho, que surpreendeu com uma frustração de cerca de R$ 5 bilhões, será mantida -o que exigiria medidas drásticas.
Fonte: Diário do Nordeste



Depois de "chuva" de ovos em Doria, Prefeitura de SP recebe 10 mil ovos


Em vídeo divulgado no Facebook oficial do prefeito de São Paulo João Doria, a Prefeitura do Estado anunciou que recebeu uma doação de 10 mil ovos de uma granja. Os ovos serão usados no preparo de refeições para usuários de drogas que vivem na Cracolândia. O fato acontece dias após Doria levar ovadas ao chegar em evento na cidade de Salvador para receber título de cidadão soteropolitano, no último dia 7.

No começo do vídeo, o prefeito faz alusão a situação que passou na Bahia e diz: "O ovo não é feito para você jogar em ninguém, o ovo é feito para alimentar alguém". Nas imagens, Doria estava ao lado de representantes da granja doadora dos insumos, a Mantiquera. 


Brincando com a situação, Doria dispara: "No setor privado aprendia a fazer do limão uma limonada. Agora, no setor público, aprendi a fazer do ovo uma gemada"