Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Com 1% de chance de vencer o câncer, Marcelo Rezende desabafa

Considerado por uma legião de telespectadores como um dos mais importantes jornalista do país dos últimos tempos, Marcelo Rezende, que comanda o telejornal investigativo 'Cidade Alerta', na RecordTV, encontra-se atualmente afastado de suas atividades na emissora do bispo Edir Macedo, devido a descoberta de um tumor maligno em seu pâncreas.


Aos 65 anos de idade, Marcelo foi diagnosticado com um avançado câncer no pâncreas e, em menos de um mês, recebeu a triste informação de que a doença havia tomado também parte significativa de seu fígado. Iniciando imediatamente após a descoberta a quimioterapia, Marcelo se submeteu apenas a três sessões, mas abandonou o tratamento para aderir por conta própria um método alternativo com base em uma dieta rica em proteínas e isenta de açúcares.

A decisão de abandonar o tratamento clínico, que muito surpreendeu seus milhões de fãs, foi amplamente criticada por especialistas que defendem o tratamento quimioterápico para pacientes diagnosticados com câncer. A decisão de Marcelo foi anunciada dias após o ex-presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, doutor Ney Cavalcanti de Albuquerque, revelar durante sua participação no programa 'Rádio Jornal' que o câncer diagnosticado no jornalista é um dos tipos mais devastadores da doença e que embora o paciente se submeta ao tratamento clínico, sua chance de cura é de apenas 1%.

Alegando que a quimioterapia mais parecia que iria tirar sua vida, Marcelo deixou de comparecer às consultas médicas e busca na religião e na alimentação sua cura para o câncer. Mostrando-se um homem muito devoto a Deus, por inúmeras vezes Rezende citou textos sagrados e compartilhou com o público palavras de ânimo e esperança.

Mantendo uma relação bastante amistosa e próxima aos seus fãs, Marcelo, que sempre foi adepto às inovações tecnológicas, constantemente se volta ao público através de suas redes sociais. Na último dia 26 de julho, o jornalista utilizou sua conta no Instagram para confirmar sua decisão e revelar aos seguidores o motivo de ter optado por abolir a quimioterapia de seu tratamento.

Visivelmente abatido por conta da doença, Marcelo declarou: ''Desisti da medicina tradicional e essa foi a melhor decisão que eu poderia ter tomado. Não a tomei porque eu quis assim, essa decisão eu tomei pois o meu Deus quis assim.''

Morte de Luiz Gonzaga, Rei do Baião, completa 28 anos nesta quarta-feira

Resultado de imagem para morre luiz gonzaga
Filho de Januário, lavrador e sanfoneiro, e de dona Santana, O Rei do Baião nasceu 13 de dezembro de 1912, na Fazenda Caiçara, município de Exu, sertão de Pernambuco. A voz que representou a cultura nordestina Brasil a fora se calou em 2 de agosto de 1989. Luiz Gonzaga passou 42 dias internado sofrendo de câncer na próstata e osteoporose, “Hospital Santa Joana”, na cidade de Recife. 

Após o agravamento dos malefícios veio a falecer na madrugada de 02 de agosto de 1989, com 76 anos de idade, em conseqüência de parada cardíaca por pneumonia.

O corpo do Rei do Baião foi velado em Recife-PE onde houve uma forte manifestação popular ao artista que levou a cultura nordestina Brasil a fora. Após ser velado na capital pernambucana ele foi transportado inicialmente para a cidade de Juazeiro do Norte, e daí para sua cidade natal, em Exu, onde foi sepultado.

Luiz Gonzaga foi criador de melodias e harmonias,3 ganhou notoriedade com as antológicas canções "Baião" (1946), "Asa Branca" (1947), "Siridó" (1948), "Juazeiro" (1948), "Qui Nem Jiló" (1949) e "Baião de Dois" (1950).2.

Museu com a sua história

Idealizado pelo próprio Luiz Gonzaga, o primeiro museu de sua cidade natal, Exú-PE, é o lugar aonde estão suas memórias. No local além de ter o seu mausoléu onde ele está sepultado junto com sua primeira mulher (“dona” Helena), que seu filho Gonzaguinha mandou construir para o casal, é o lugar onde fica abrigado o maior acervo material original do músico como sanfonas, chapéus, sandálias e gibão de couro, discos de ouro, fotografias e os objetos pessoais do músico.

Em Caruru e Recife também é possível conferir fotografias, peças do seu vestuário, documentos pessoais e discos raros num museu na capital do forró, e em um memorial no Recife.

Filme

"De Pai pra Filho" narra a história de Luiz Gonzaga, e seu filho Gonzaguinha, que também era músico. (1945-1991). Dois artistas que mesmo diferentes tinham em comum a música. O filme foi selecionado para a abertura do Festival do Rio de 2012.